Duas pessoas morrem com o vírus da gripe A H3 em Casimiro de Abreu

Foram confirmadas nesta quinta-feira, dia 03, duas mortes pelo vírus Influenza A H3 em Casimiro de Abreu, no interior do Rio. Segundo a Secretaria de Saúde Municipal, o A H3 circula durante o ano todo, mas tem maior incidência no outono e no inverno.

Uma das vítimas era moradora do distrito de Professor Souza e morreu em 20 de abril no Hospital Municipal Ângela Maria Simões Menezes. A paciente fazia parte do grupo de risco, pois já sofria de uma doença crônica e tinha baixa imunidade, de acordo com a Prefeitura de Casimiro de Abreu.

O Laboratório Central de Saúde Pública do Rio de Janeiro Noel Nutels (Lacen-RJ), responsável pelos diagnósticos, também confirmou que um morador de Rocha Leão, distrito de Rio das Ostras, morreu quando estava internado no Hospital Municipal de Casimiro pelo vírus A H3. Ele morreu poucos dias depois da moradora de Casimiro.

O Lacen-RJ descartou a possibilidade das mortes terem sido causadas por H1N1 ou H3N2. A vacinação contra a gripe começou no dia 24 de abril na cidade.

A Prefeitura informou que a Secretaria de Saúde de Casimiro de Abreu já vem tomando todas as medidas necessárias. Por prevenção, o Hospital Municipal vem adotando, desde abril, o uso de máscaras nos pacientes com sintomas de resfriado e gripe, além de higienização das mãos com álcool em gel.

A Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza terá o Dia D de vacinação em 12 de maio. Segundo a Prefeitua, foi solicitado ao governo do Estado reforço no estoque de vacinas.

Recomendações
A principal recomendação para todos é que continuem a prevenção lavando as mãos com frequência; arejando bem a casa; se estiver resfriado ou gripado, não compartilhar objetos pessoais, usar lenços de papel. Para o grupo de risco a orientação é a vacinação.

A Campanha Nacional de Vacinação contra influenza ocorre em todo município, nas Unidades de Saúde com sala de vacina e no Centro de Especialidades Médicas (CREM), no Centro de Casimiro de Abreu, das 8h às 17h, de segunda a sexta.

De acordo com protocolo do Ministério da Saúde, as vacinas são destinadas, prioritariamente, para o grupo de pessoas com maior risco: crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, professores, profissionais da saúde e pessoas com mais 60 anos. Aquelas portadoras de doenças crônicas poderão tomar a vacina em seu posto de saúde ou com laudo médico em qualquer outra unidade vacinadora. A vacinação acontece até o dia 1º de junho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here