3 prefeitos eleitos na Região dos Lagos estão inelegíveis com recurso

Marquinho Mendes (Cabo Frio), Renatinho Vianna (Arraial do Cabo) e Grasiella Magalhães (Iguaba Grande) correm na justiça para conseguir assumir em 2017

Por Redação JS em 03/10/2016 07h20
Uma eleição judicializada, esse foi o retrato das eleições 2016 nas cidades da Região dos Lagos. Os candidatos vencedores nas urnas de Cabo Frio, Arraial do Cabo e Iguaba Grande tiveram votação computada como "nula ou anulada", conforme consta no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Em Cabo Frio, o vencedor nas urnas, Marcos da Rocha Mendes, o Marquinho Mendes (PMDB), consta como inelegível com recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e teve 44.161 votos, 20.874 a mais que Dr. Adriano Moreno, que foi o primeiro entre os votos validos, com 23.287. Seu caso cabe recurso.


Em Arraial do Cabo, o primeiro e segundo colocados da disputa, Renatinho Vianna (PRB) com 10.677 votos e Walter Lúcio, o Tê (PMDB) com 7.972 votos, se encontram com a votação anulada no TRE. Segundo o Tribunal, o primeiro colocado entre os votos validos foi José Bonifácio (PDT), com 2.170 votos, porém, o caso de Renatinho também cabe recurso.


Em Iguaba Grande, a prefeita Grasiella Magalhães (PP) conseguiu a reeleição nas urnas com 7.660 votos, que estão "nulos ou anulados", o candidato com mais votos validos do municipio foi o ex-prefeito Hugo Canellas, com 4.832 votos. O caso de Grasiella também cabe recurso.


Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas