A bola pune

Por Ricardo Sanchez em 06/02/2016 17h57

Muricy Ramalho foi o autor da frase, “a bola pune” e eu acrescento que pune com mais rigor os chupa-sangue ou vampiros do futebol. Aqueles que entram em campo como donos de sauna, querendo ganhar dinheiro com o suor dos outros. O Flamengo de 2016 deverá ficar livre deles. 


O time não foi tão bem quanto a torcida esperava na estréia no Estadual, mas deixou pinta de que vai melhorar. Acabou a correria alucinada em busca das bolas despachadas da defesa com chutões, o meio de campo pensa, trabalhar a bola e espera a brecha para um passe inteligente, e isso é bom. 


Ainda falta alguma coisa, a defesa precisa de um ajuste na sintonia fina. Não culpo somente o Wallace, que falhou no posicionamento no lance do gol de Leandrão, no empate com o Boavista. Erros acontecem e outros jogadores também erraram e não sofreram a mesma perseguição. 


O problema que Muricy saberá corrigir está na compactação, o time precisa estar junto e falar mais. Em futebol a ajuda mútua é fundamental. No fim, acho que o Flamengo de Muricy vai dar liga.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Corrupção sem fim!