Alair Corrêa fala sobre o aniversário de Cabo Frio

Prefeito Alair Corrêa, em entrevista exclusiva, explica o porquê do aniversário da cidade não ser comemorado com grande festa.

Por Redação JS em 09/11/2015 15h35

JS - Prefeito Alair Corrêa, o final de ano chegou e junto com ele vem o décimo terceiro. Como o senhor vai driblar a crise para pagar tudo isso?


AC - Estamos confiando em Deus para conseguir pagar tudo isso. No momento mais importante, Deus vai abrir as portas e me permitir cumprir mais essa etapa da minha vida que é de pagar em dezembro o décimo terceiro salário, como fiz nos meus quatros mandatos.


JS - Se não bastasse tudo isso, temos a cidade de Cabo Frio completando 400 Anos esse mês. Como está a programação?


AC - Eu fui um prefeito de 500 Anos de Descoberta de Cabo Frio e agora também sou o prefeito de 400 Anos. Épocas diferentes. Naquela eu fiz a chegada dos portugueses no Forte São Mateus, toda aquela história foi contada com as pessoas caracterizadas, um momento muito bonito. E agora nós não estamos conseguindo fazer nos 400 Anos, o que nós realizamos nos 500. Mas nós estamos contando que os 400 Anos começam no dia 13 de novembro de 2015 e termina em 2016. Então, nós poderemos em 2016 realizar todas as festas que nós pensamos lá atrás. Vamos fazer uma programação bem cultural, bem simples, caseira, para não deixar em branco, e, mais lá na frente nós faremos uma festa mais pomposa.


JS - Essa festa seria com ajuda de empresários?


AC - A partir do momento da crise do petróleo, corrupção, queda do barril, crise no mundo, as ações dos prefeitos e empresários se modificaram pela necessidade de mudanças mesmo. Porque antes tínhamos uma arrecadação regular, que dava para fazer toda essa situação sem grandes complicações. Nós estamos sentindo que essa crise no Brasil vai demorar oito anos para romper, então, a intenção nesse período é de que façamos sempre esses eventos associados ao que nós temos de potencial: a nossa praia. Vendendo a nossa praia para que não tiremos recursos dos cofres do município para esses acontecimentos.


JS - E o Réveillon?


AC - Estamos trabalhando com as Associações de Bares e Hoteis, Convetion Bereau, estamos com trabalhos para que consigamos os fogos, as barcaças e os shows sem tirar o recurso da prefeitura. Uma coisa eu quero tranquilizar a população de Cabo Frio, os fogos e as festas de Réveillon nós vamos ter na cidade. Porque nós estamos bem adiantados nessas conversas com os empresários e essas associações. Inclusive quero anunciar que no ano passado nós fizemos os nossos fogos com quatro barcaças e esse ano ampliamos para cinco, nós temos 12 km de praia e queremos que uma atinja o Foguete e Arraial do Cabo. Os nossos fogos serão lindíssimos. Queremos, em dezembro, fazer o balé dos fogos, que é pegar um conjunto de música de Cabo Frio para se apresentar na praia, com telões e fogos, e a trilha sonora deles.


JS - Uma boa notícia, os navios estão de volta à cidade, correto? Soube que os senhor, como prefeito, que está comandando tudo isso e o secretário de Turismo?


AC - Cada um faz a sua parte. Esse processo, da vinda de navios, teve o início há um ano, quando nós caímos de cerca de 20 navios para 7, ai eu comecei a ficar preocupado. Eu passei, pessoalmente, a ficar responsável por esses casos. Estamos fazendo três fundeios, nós só temos um, mas vai ter dia que teremos três navios na praia. Agora nos vamos disparar, serão 75 mil pessoas descendo em Cabo Frio, cada uma gasta em média $50 doláres. Serão milhões de reais correndo no comércio, para isso estamos reformando o terminal de passageiros. Serão 36 navios no verão fazendo a festa na nossa cidade.

 

JS - Mudando de assunto. Vamos falar do tão polêmico empréstimo. Ele sai ou não sai?

 

AC - É a nossa salvação. Sou um homem que acredito e tenho muita fé. Ela não me faz pensar que os recursos não entrarão, então estamos aguardando para isso acontecer. Estou acreditando piamente e tudo que planejávamos fazer em quatro anos, nós faremos em um ano. Cabo Frio será outra cidade a partir da chegada dos recursos que nós perdemos. Não estamos usando nada que não nos pertence. Cabo Frio perdeu milhões e milhões de reais e vamos receber em forma de empréstimo

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano