Alívio no caixa do estado do Rio pode vir do governo federal

O Rio pretende correr atrás do que pagou, indevidamente, nestes quase 17 anos.

Por Redação JS* em 11/04/2016 14h00

O Rio vive com a corda no pescoço — e a mão que pode puxar a forca é a do governo federal. Disso, ninguém duvida.


Para reduzir a dívida de R$ 66 bilhões com a União, renegociada em 1999, o governo do estado paga, por mês, 13% de sua receita corrente líquida — ou seja, 13% de tudo o que arrecada com taxas e impostos.


Só que, nesta conta, era somado também o que o Rio recebia a título de royalties e participação especial na produção do petróleo. Mas isso não é receita — é compensação.


Com este argumento, o governo recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF). E em janeiro, ganhou.


O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, decidiu retirar o valor dos royalties e da participação especial do cálculo do pagamento da dívida.

 

Futuro

 

Agora, o Rio pretende correr atrás do que pagou, indevidamente, nestes quase 17 anos.


Pelos cálculos da equipe econômica, o governo federal terá que devolver quase R$ 6,5 bilhões aos cofres estaduais.





*Fonte: Berenice Seara – Jornal Extra

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa