Alvo humano

Por Vilma Matos em 10/01/2017 07h01

No Rio de Janeiro a cada ano mais policiais são assassinados. Só nos primeiros cinco dias deste ano de 2017, seis PMs foram mortos. Mas, infelizmente o que podemos observar nessas mortes é que, esses policiais foram assassinados, isso mesmo, eles não estavam em serviços, não foi um confronto, e sim foram cruelmente assassinados. (exceção do segurança do shopping, mesmo assim ele nem reagiu, foi executado friamente).


Os criminosos agem friamente, mesmo sem reagir ou se identificar, eles desconfiam que possam ser policiais e simplesmente matam.


A maioria desses policiais são pessoas honestas e trabalhadoras. São pais, filhos, irmãos e maridos que decidiram por uma bela profissão, mas muito perigosa. Eles saem de casa para trabalhar, deixando seus entes queridos, sem saber se voltarão para suas casas vivos. E num momento de folga eles  se tornam alvos vivos.


As autoridades competentes precisam de um plano imediato para combater esta violência contra o policial. Se nem a polícia que anda armada está segura, quem dirá a população. Uma viatura, uma farda, não intimida mais o bandido, pelo contrário torna-os alvos. O que será do humilde cidadão no dia a dia nestas ruas?

 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada