Andinho: “Estou sendo punido, porque eu procurei abençoar o menos favorecido”

Prefeito de Arraial do Cabo, Wanderson Cardoso de Brito, fala sobre o processo que resultou em sua cassação

Por Redação JS em 17/08/2016 11h40
Wanderson Cardoso de Brito, Andinho, prefeito de Arraial do Cabo, falou com a equipe do Portal JS, na manhã desta quarta-feira, dia 17, após notícias de que o TSE cassou o seu mandato.


JS – Prefeito, o senhor pode explicar esse processo que resultou em sua cassação?
WC - Eu queria informar a toda região que o processo pelo qual o TSE julgou pela cassação do nosso mandato, foi um projeto da nossa Secretaria de Educação, estávamos legalizando a situação da população dos bairros Caiçara e Sabiá e fizemos um evento no dia 1º de julho de 2012, antes do período eleitoral de entrega desses lançamentos. Não tinha nenhum político, placa de candidato, pedido de voto, não teve nada.  Infelizmente, nossos adversários fizeram processos e caracterizaram que esse evento aconteceu a 15 dias da eleição, o que é uma inverdade. Infelizmente, a Justiça não atentou para isso. Esse processo vem transcorrendo e culminou numa decisão contraria a gente. Para deixar bem claro, não é uma cassação política, é uma cassação administrativa.  


JS - Quais as primeiras medidas que o senhor está tomando?
WC – Os nossos advogados estão recorrendo com várias ações, eu confio na equipe que temos. Nós vamos conseguir solução para esses problemas, a gente permanece no cargo, atuando na Prefeitura, com nossas responsabilidades. A Prefeitura hoje, graças a Deus, se destaca na região, com a folha de pagamento nossa em dia, Saúde funcionando, nenhuma criança fora da sala de aula. Nós temos hoje uma cidade em que o funcionário da Prefeitura é respeitado na cidade, paga os seus compromissos em dia. Estamos num momento difícil, mas eu creio que vamos finalizar  o nosso governo só no dia 31 de dezembro.


JS – A decisão coube a prefeito e vice?
WC- Sim. 


JS – Haveria a possibilidade hoje do presidente da Câmara assumir?
WC – A gente está trabalhando para que eu permaneça no cargo. O afastamento é após a finalização do processo. Creio que nós vamos reverter o caso.


JS – Caso o senhor não consiga, quanto tempo pode durar?
WC – Eu sou positivo. Eu creio.  Vamos trabalhar e reverter essa causa. Estou muito tranquilo. Não vamos absorver essa intriga da oposição. Eles não têm moral para questionar a gente. Eu não roubei a LDA com eles fizeram no passado, não desviei verba do Estado. Eu estou sendo punido, porque a minha vida toda eu procurei abençoar o menos favorecido. 



Saiba mais em clicando AQUI.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Deus está no controle