Aqueduto da Rebeche é implodido

A ação aconteceu neste domingo, 13, às 9h

Por em 15/09/2015 14h41

A tão esperada implosão do  aqueduto da Álcalis, localizado na Estrada da Rebeche, em Arraial do Cabo, aconteceu neste domingo, 13/09, às 9h.  Em menos de cinco segundos, toneladas de concreto e ferro foram colocados por terra com total segurança. A ação realizada pela Prefeitura Municipal através da Secretaria de Obras atendeu uma ordem judicial do Ministério Público do Estado e a empresa responsávael pela implosão foi  a Dinamita Detonações e Transportes Ltda.

O aqueduto construído há mais de 50 anos pela Álcalis, era utilizado para transporte de água do mar para refrigeração das caldeiras de barrilha, que há mais de 15 anos já não funcionava mais. Devido a falta do uso,  estava em estado de deteriorização, com vários pontos enferrujados, e o concreto estava cedendo, correndo o risco de um acidente. Para evitar que isso viesse acontecer, o Ministério Público do Estado entrou com o processo pedindo a demolição não só do aqueduto da Rebeche, como também o da Estrada da Prainha, implodido em 11 de agosto de 2009.

Os trabalhos da implosão começaram uma semana antes, com uma vistoria técnica em todas as residências  no entorno do local feita  por uma equipe formada por engenheiros da prefeitura, Defesa Civil, Secretaria de Ordem Pública e funcionários da empresa. E, no sábado, 12, por volta das 7h, os moradores foram evacuados de  suas casas e ficaram  afastados por cerca de  300 metros de distância.  Todos portando documentos de identificação, pois suas casas ficaram sob a proteção da Polícia Militar.  O retorno se deu por volta das 10h30, após a implosão. E o trânsito que estava interrompido desde às 23h de sábado, foi liberado no final da tarde de domingo, 13, e os serviços de fornecimento de energia, gás, água e telefonia foram restabelecidos.

A empresa Dinamita Detonações e Transportes Ltda. informou que para a implosão do aqueduto da Rebeche foram utilizados 14 quilos de explosivos. E toneladas de areia foram colocadas embaixo do vão principal, formando uma cama amortecedora para evitar um impacto maior. E tudo aconteceu conforme o planejado.  Nenhum acidente aconteceu, apenas o vidro de uma janela de uma casa vizinha quebrou e o forro de PVC cedeu por causa do deslocamento do ar.  Mas, a empresa já está tomando todas as providências. A implosão gerou cerca de 60 toneladas de escombros, que estão sendo retirados pela empresa Dinamita Detonações e Transportes Ltda e levados para o centro de tratamento de resíduos sólidos, em São Pedro da Aldeia.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa