Aulas retornam em Cabo Frio após 3 dias de paralisação dos professores

Categoria reivindica pagamento de salários e benefícios atrasados.

Por Redação JS em 13/05/2016 16h17

Os profissionais da Educação de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, voltaram às salas de aula nesta sexta-feira (13) após três dias de paralisação para pedir o pagamento de salários e benefícios atrasados, como o 13º de 2015. É o segundo ato da categoria desde o início do ano letivo, que começou atrasado, no dia 4 de abril, devido à greve que durou três meses.


O protesto começou na terça-feira (10) e na quarta os professores acamparam na Câmara dos Vereadores para protestar contra a votação do Projeto de Lei que autoriza um empréstimo de antecipação dos royalties no valor de R$ 200 milhões pela Prefeitura. 


Nesta quinta, um grupo de cerca de 200 professores fechou a principal ponte de Cabo Frio, a Feliciano Sodré que liga o Centro aos bairros da periferia e outros municípios. O protesto aconteceu entre 11h e meio-dia.


Em entrevista ao RJ Inter TV 1ª edição nesta quinta, o prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, disse que 13º dos funcionários só será pago caso o empréstimo seja liberado.


"Não [foram pagas] e não vão ser pagas enquanto não tiver recursos. Eu não posso inventar", declarou o prefeito sobre a 3ª, 4º e 5ª parcelas do 13º dos servidores municipais.

 







*Matéria: G1.com

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada