Balanço de Janeiro: Cabo Frio tem suspeita de 202 casos de Dengue

A Emergência Sanitária Internacional para Microcefalia/Zikavirus foi declarada pela Organização Mundial de Saúde no dia 1 de fevereiro

Por Redação JS em 11/02/2016 11h36

Desde o início de dezembro de 2015, o departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde de Cabo Frio passou a informar a população sobre o aparecimento de casos suspeitos pelo zika vírus no Município, estimulando a população ao combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.


O trabalho diário realizado pelos agentes de endemias e comunitários de saúde atuou diretamente no combate as larvas, destruindo criadouros descartáveis e tratando com larvicida os recipientes de armazenamento de água usados pela população. Além de ações de orientação de casa em casa, como o ultimo mutirão, realizado no bairro Jacaré; e controle de vetores na Agrisa, no Distrito de Tamoios.


Diversas capacitações foram realizadas com as equipes médicas e enfermagem dos postos do programa Estratégia de Saúde da Família (ESFs) do município sobre diagnóstico, notificação e tratamento de dengue, zika e chikungunya. Junto à coordenação dos ESFs e direções técnicas do Hospital da Mulher e Centro Oswaldo Cruz, foram traçados protocolos de atendimentos e acompanhamentos das gestantes acometidas por doenças suspeitas de infecção pelo zika vírus.


Segundo o boletim do Ministério de Saúde de 22 de janeiro de 2016, é impossível saber o número real de infecções pelo zika vírus, dengue e chikungunya. Esta afirmação se deve a fatores que interferem no desenvolvimento da doença, como o período de incubação médio de 10 dias sem sintomas, porém com o vírus circulando, banalização das doenças não procurando atendimento médico e/ou não fazendo os exames sorológicos específicos, entre outros.


Os números de casos suspeitos notificados à Vigilância em Saúde até o momento no município de Cabo Frio são:


Dengue: Dezembro de 2015 – 6 casos / Janeiro de 2016    - 202 casos


Chikungunya: Dezembro de 2015 – 2 casos / Janeiro de 2016 – 7 casos


Zika: Não Gestantes - Dezembro de 2015 – 1 caso / Janeiro de 2016 – 6 casos. 


Gestantes - Dezembro de 2015 – 7 casos /             Janeiro de 2016 – 28 casos

 

Os bairros com maior número de casos notificados são: Jacaré; Jardim Caiçara; Palmeiras; São Cristóvão; Parque Burle; Porto do Carro; e Praia do Siqueira.


Como os sintomas são semelhantes, alertamos para a Dengue evoluir com quadros potencialmente mais graves principalmente em idosos, crianças e gestantes. Os SINAIS DE ALERTA: dor abdominal, náuseas e vômitos e sensação de desmaio eminente, devem ser imediatamente avaliados pelas equipes de saúde das unidades de emergência e urgência: UPA Tamoios, Hospital Central de Emergência, Hospital Municipal da Mulher e Hospital Municipal da Criança.


Até o momento, não temos casos de microcefalia ou Guillem Barré sendo acompanhados. Outras causas possíveis para desenvolvimento da microcefalia são: uso de drogas, radiação, infecções por rubéola, sífilis e toxoplasmose durante a gravidez.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas