Bancários da Região dos Lagos esperam nova proposta da Fenaban

A categoria entrou na terceira semana de greve e o representante dos bancários na região, Suez Santiago, acredita que haverá entendimento e que o movimento pode chegar ao fim

Por g1.globo.com em 27/09/2016 16h21
O sindicato dos bancários da Região dos Lagos do Rio espera receber uma nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) na reunião marcada para a tarde desta terça-feira (27). A categoria entrou na terceira semana de greve e o representante dos bancários na região, Suez Santiago, acredita que haverá entendimento e que o movimento pode chegar ao fim.


"Acreditamos agora que eles vão finalmente negociar. Estamos com essa expectativa", declarou Suez.


O sindicato da Região dos Lagos do Rio representa os municípios de Cabo Frio, São Pedro da Aldeia, Rio das Ostras, Araruama, Iguaba Grande, Saquarema, Arraial do Cabo, Armação dos Búzios e Rio Bonito. De acordo com a entidade, a média é de cinco funcionários atuando em cada agência. Na região, somente os casos essenciais estão sendo atendidos pelos funcionários, como desbloqueio de cartões para idosos. O efetivo nas agências é de no máximo 30%.


A greve faz parte da campanha de reajuste salarial nacional. Os trabalhadores exigem a reposição da inflação e mais 5% de aumento real. Na Região dos Lagos, 100% das 58 agências seguem atuando com números reduzidos somente para serviços essenciais à população.


A greve foi aprovada em assembleia no dia 1º de setembro, quando a categoria rejeitou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil.


Os sindicatos alegam que a oferta da Fenaban ficou abaixo da inflação projetada em 9,57% para agosto deste ano e representa perdas de 2,8% para o bolso de cada bancário.


A orientação do Procon-PR é para que os consumidores busquem meios alternativos, como casas lotéricas e correspondentes bancários, como farmácias e supermercados, caixas eletrônicos, internet e aplicativos de celular, e até mesmo o próprio fornecedor para efetuar os pagamentos e evitar o acréscimo de juros e multas nas contas.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano