Depressão - O "mal do século"

Por Vilma Matos em 29/02/2016 07h32

O número de pessoas com depressão cresce a cada ano. É preciso derrubar preconceitos e buscar ajuda especializada.


A depressão está entre o quinto maior problema de saúde pública do mundo e é considerada uma doença que pode ser caracterizada como o “mal do século”. A OMS (Organização Mundial da Saúde) define depressão como um transtorno mental comum, caracterizado por tristeza, perda de interesse, ausência de prazer, oscilações entre sentimentos de culpa e baixa autoestima, além de distúrbios do sono ou do apetite. Também há a sensação de cansaço e falta de concentração. A doença pode ser de longa duração ou recorrente. Na sua forma mais grave, pode até mesmo levar ao suicídio. Mais de 350 milhões de pessoas sofrem de depressão em todo o mundo. Ela pode atingir qualquer pessoa, independente do seu sexo, idade, saúde física ou classe social.


A pessoa entra em uma espécie de túnel, onde passa a não ser capaz de valorizar as coisas positivas de sua vivência diária, se deixando levar por sentimentos de culpa por decisões entendidas como erro.  Apesar de atingir um grande número de pessoas, os preconceitos em torno do problema ainda são muitos. Diferente de uma tristeza passageira, a depressão não consegue ser curada com medidas simples como um passeio com os amigos. A tristeza é um sentimento profundo e intenso, porém, todos nós possuímos defesas contra esse sentimento, que costuma ser passageiro. Já na depressão, o sentimento de tristeza permanece por mais tempo e pode prejudicar diversos setores da vida da pessoa.


Do ponto de vista psicológico, a depressão está relacionada a experiências de perdas significativas, como morte de um ente querido, doenças graves ou crônicas, uma separação conjugal, perda de emprego ou local de moradia, ou ainda algo puramente simbólico e importante para aquela pessoa que não possa ser alcançado ou tenha sido perdido.


Depressão é uma doença como qualquer outra. Não é sinal de loucura, nem de preguiça nem de irresponsabilidade. Se você anda desanimado, tristonho e acha que a vida perdeu a graça, procure assistência médica.


Entender os sintomas da depressão e buscar ajuda é tão importante como o tratamento em si.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas