Dia Mundial da Luta Contra Aids: Prefeitura de Iguaba promove treinamentos para prossionais da saúde

Encontro discutiu sobre o atual cenário epidemiológico no município e as ações desenvolvidas

Por Ascom Iguaba em 04/12/2015 14h52

A Prefeitura de Iguaba Grande através da Secretaria de Saúde em comemoração ao Dia Mundial da Luta Contra a AIDS, no dia 01 de dezembro, terça, promoveu no Salão Nobre da Prefeitura, uma manhã de treinamentos e palestras voltados para diversos profissionais da área da saúde. O evento contou com a participação especial das palestrantes, médica infectologista do Programa DST/AIDS e Hepatites Virais de Iguaba Grande, Drª Apparecida Castorina Monteiro dos Santos, a Diretora de Atenção Básica, Patrícia Paixão e da Coordenadora do Programa DST/AIDS, Fabiana Faria.


Tendo como o tema central “Vulnerabilidade ao HIV no Município de Iguaba Grande” o objetivo do encontro foi trazer aos profissionais uma atualização sobre o cenário epidemiológico no município, além de trazer inovações sobre as diversas formas de tratamento e captação de pacientes.


“Nós sabemos que a porta de entrada para o assistencialismo da saúde, são as Unidades Básicas de Saúde, e por conta disso, nós, enquanto profissionais, precisamos estar integrados a toda rede de serviços estabelecidos, ou seja, atualizados e inovando sempre a nossa atuação para que haja cada vez mais uma melhora no atendimento dos nossos pacientes”. Declarou a Médica Infectologista, Apparecida Castorina.


Um dos temas mais enfatizados durante o evento foi sobre o crescimento da tuberculose em conjunto com o HIV, como destacou a Diretora de Atenção Básica de Iguaba Grande, Patrícia Rita Paixão. “Pensou em HIV, lembra-se sempre de tuberculose. Essa combinação é a principal causa de mortes entre pessoas com HIV/AIDS no país e no Estado do Rio de Janeiro, as duas apresentam um cenário preocupante e levam vítimas a viverem escondidas, por conta do preconceito”.


De acordo com dados da Organização das Nações Unidas – ONU, pessoas que vivem com o HIV têm entre 20 a 30 vezes mais chances de desenvolver tuberculose ativa do que as pessoas sem a infecção. Enganam-se quem pensa que tuberculose é coisa do passado, todos os anos, 800 pessoas morrem vítimas da doença no Rio. A AIDS, apesar de ter tratamento, não tem cura, e atinge cada vez mais os jovens.


“Esse encontro teve a finalidade de capacitar mais ainda os profissionais para juntos fazermos uma articulação da rede no município a cerca da vulnerabilidade do HIV. Aqui em Iguaba Grande nós temos um ambulatório de DST/ AIDS e Hepatites Virais e atualmente o nosso município acompanha 81 pacientes, contando ainda com pacientes de outros municípios que também recebem atendimentos”. Destacou a Coordenadora Do Programa DST/ AIDS e Hepatites Virais, Fabiana Faria.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Deus está no controle