Dr. Paulo César: “Sou o único que pode dar fim a esse monopólio de 20 anos com Marquinho e Alair"

Dr. Paulo César já foi vereador de Cabo Frio e deputado federal e afirma que o único que tem condições de mudar o modelo político, econômico e administrativo da cidade

Por Redação JS em 20/09/2016 10h35
Na manhã desta terça-feira, dia 20, Dr. Paulo César, do PSDB,  deu entrevista para o Portal JS e a Rádio Litoral FM. Médico, natural de Cabo Frio, ex-vereador, ex-deputado federal, falou sobre seus projetos de governo para a cidade e oposição. Confira:

Portal JS: Qual seria o seu primeiro ato ganhando a eleição no dia 02 de outubro?
PC – Primeiro ato seria botar ordem na casa, ajustar as contas, colocar as contas em dia, colocar os salários dos servidores públicos em dia, colocar os hospitais e escolas para funcionar e limpar a cidade que está com muito lixo. 

Portal JS: Com que dinheiro o senhor faria isso?
PC – Primeiro fechando a torneira do desperdício, porque Cabo Frio tem uma arrecadação maravilhosa. Cabo Frio hoje pode gastar R$2 milhões por dia, o que daria R$730 milhões em um ano e o orçamento de 2017 chegará a R$800 milhões. É um orçamento maravilhoso, nós podemos dizer que Cabo Frio é uma cidade rica, mas não houve prioridade na aplicação desse recurso. Então, temos que fechar a torneira do desperdício e com a nossa arrecadação, com recursos federais que nós estaremos buscando, nós conhecemos o caminho em Brasília e sabemos onde está o dinheiro. Estaremos buscando esses recursos para que Cabo Frio possa recuperar a dignidade da população e seus servidores públicos. Eu venho falando que em seis meses, tenho a certeza absoluta, que Cabo Frio estará com as suas contas em dia, hospitais funcionando, escolas funcionando com seus alunos em sala de aula e os salários dos funcionários públicos de Cabo Frio estarão em dia. A cidade estará limpa, arrumada, serviços públicos funcionando, a população tendo uma melhor qualidade de vida e a partir de julho de 2017 é que nós estaremos fazendo os nossos projetos e alavancando o crescimento da nossa cidade.

Portal JS: Um tema que tem sido bastante discutido na cidade nessa corrida a prefeitura é a questão da Saúde. O senhor é médico e como trabalharia a categoria, uma vez que a gente nota que quem está na área privada também atende a área municipal?
PC – É uma questão bem séria. Primeiro que levaram o sucateamento do serviço público de saúde em Cabo Frio. Chegamos ao ponto de todos os hospitais estarem funcionando pessimamente, de fechar o PU de São Cristovão, quando abriram a UPA no Parque Burle. Ai fecharam a UPA e reabriram o PU de São Cristóvão. A UPA, no Segundo Distrito, também está em péssima condição de funcionamento. O Hospital de Tamoios, que está funcionando com uma portinha como se fosse uma quitanda, está em estado caótico. Então, levaram a Saúde a esse patamar e em contrapartida nós temos em Cabo Frio cirurgia cardíaca. Qual o município tem cirurgia cardíaca? E atendemos 14 municípios do Estado do Rio, em contrapartida, chega ao pronto socorro e precisa de uma vaga na UTI e não tem. Ai vai fazer um levantamento para ver o que está acontecendo em Cabo Frio e descobre que aqui tem 65 leitos de UTI, então tem alguma coisa errada. Está faltando organização, quem mande, coloque ordem e possa enxergar as coisas. Não pode ter 65 leitos, com 50 Unimed e particular e, somente, 15 são para o SUS. Cidade que tem prefeito, tem quem mande, vai chamar as clínicas particulares e conversar. Porque estão na cidade e na cidade quem manda é o prefeito, então vamos ver quantos leitos podem ser conveniados para o SUS. Não pode é continuar Cabo Frio, uma cidade com o orçamento que tem, com referência na Região dos Lagos, com 205 mil habitantes e ter um sistema de saúde onde as pessoas continuam morrendo por falta de vaga na UTI. Eu trouxe mais de R$3 milhões só para a UTI do HCE para montar 10 leitos e foram montados apenas quatro. Então, vamos ampliar para 10 leitos no HCE e vamos fazer uma UTI no Hospital Jardim Esperança. Esse sempre foi meu sonho, fui o primeiro médico de lá. Temos recurso na Saúde, a verba na Saúde é, Graças Deus, carimbada, não pode ser desviada para outras funções. A Saúde custa caro, mas podemos dar esse atendimento. Moradores de Cabo Frio podem ter certeza que faremos os convênios, veremos onde estão os atendimentos, para podermos dar uma qualidade a população de Cabo Frio.

Portal JS: O senhor faz questão de frisar nas rádios e TVs que não está com o atual governo, mas como o senhor explica essa comissão de frente do governo estar ao seu lado?
PC – Para começar não posso dizer que essa seja a linha frente, pode ser  a zaga, ou os gandulas, que ficam ali recolhendo se os votos atrás do gol. Em segundo lugar, a partir do momento que o atual governo retirou a sua candidatura e saiu do Partido Progressista, eu fui buscar, junto ao Governador Dornelles, o partido. Fomos até ele, fui companheiro dele, e ele me considerava uma pessoa preparada para ser o prefeito de Cabo Frio. E ele gostaria que a sigla dele caminhasse comigo. Agora quando o partido vem para você e faz essa coligação, você não pode de maneira alguma discriminar A ou B. Não é pelo fato de ser sobrinho do prefeito, filho, ter o mesmo sobrenome, que eu vou chegar e falar que não vou ficar com esse partido pelas pessoas que estão nele. Não é assim que funciona. Então as pessoas vieram, estão no partido fazendo as suas campanhas. O Alfredo Gonçalves que foi secretário, agora é candidato a vereador, e é do Partido Verde indicou minha vice. Se nós fossemos basear a questão de pessoas ligadas ao atual governo ou que foram ligadas nos últimos 20 anos, podemos dizer que tem muito mais gente nas outras candidaturas. Eu estou muito tranquilo, minha vice é a professora Lucinha, 30 anos moradora do Jacaré, nascida na Vila Nova. Então eles estão com muito mais pessoas ligadas ao governo atual e o ex-prefeito que a candidatura do Dr. Paulo César. 

Portal JS: O que tem no seu Plano de Governo para a Educação que hoje está parada em Cabo Frio?
PC – É uma pena de ver o que aconteceu em Cabo Frio em 2015 e 2016 no sistema de Educação. Quero dizer que logo após a eleição, quero estar sentando com os sindicatos, pais de alunos e professores para decidirmos duas coisas: estender o ano letivo até março de 2017 e a segunda é a questão salarial. Tenho certeza que esse governo vai deixar uns dois, três meses para trás, mais o décimo terceiro e quero estar conversando com as entidades de classe para vermos uma forma de parcelarmos essa parte. 

Portal JS:  E o Turismo?
PC – Depois de vinte anos da farra do petróleo, nós vamos pegar a prefeitura com toda dificuldade, mas temos capacidade, equipe técnica. O Turismo, que há muitos anos só tem curiosos como secretário, eu farei diferente e vou colocar um profissional que entenda. Cabo Frio sempre teve o Turismo como sua vocação natural e sempre foi deixado de lado. Então,  vamos precisar agora do Turismo para se levantar. Então o Turismo terá um a política forte. Vamos a Brasília buscar apoio para o Centro de Convenções que está há muitos anos só na promessa. 

Portal JS: Considerações finais.
PC – Quero dizer a vocês que o único candidato que tem condições de quebrar esse modelo político, econômico, administrativo, nos últimos 20 anos, se chama o Dr. Paulo César. É o único, sem prepotência, mas com a capacidade que eu tenho, sou o único que pode dar fim a esse monopólio de 20 anos com Marquinho e Alair, vou fazer a diferença em Cabo Frio. 
  

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa