Educação de Cabo Frio para de vez

Os profissionais da Educação de Cabo Frio, entraram em greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira

Por Redação JS em 13/06/2016 16h28

Os profissionais da Educação de Cabo Frio, entraram em greve por tempo indeterminado nesta segunda-feira (13). De acordo com a categoria, os pagamentos dos professores estão atrasados desde abril. Eles reclamam ainda do atraso das parcelas do 13º salário. Segundo o sindicato da categoria, reuniões com os pais de alunos serão realizadas nas escolas para esclarecer o movimento.

 

"As nossas reivindicações não mudam. Ainda estamos lutando para um calendário de pagamento, pelo o 13º salário de 2015, que foi parcelado em cinco vezes, e as duas últimas parcelas não foram pagas, e pelo pagamento do vale transporte. Temos uma gama de reivindicações que não estão sendo atendidas pelo poder público", disse a coordenadora do Sepe Lagos, Denise Teixeira.


Desde dezembro de 2015, a classe realiza manifestações com paralisações e greves, o que atrasou o término ano letivo do ano passado e início deste ano. Esta é a terceira paralisação de 2015. Ainda segundo Denise Teixeira, não há uma estimativa de como acontecerá a reposição das aulas.


A Prefeitura de Cabo Frio informou por meio de nota enviada pela assessoria de imprensa, queapesar dos quatro meses com os professores em greve, a data de pagamento acordada com o sindicato foi cumprida e que nenhum dia de trabalho daqueles que aderiram à greve foi descontado. Ainda acordo com o município, mesmo não pagando na data do vencimento, os atrasos não passaram de 15 dias.


"Este mês vamos manter a data acordada, toda terceira terça-feira de cada mês, pois é quando recebemos as parcelas do Fundeb e ICMS. Isso porque nossa arrecadação continua baixa e vem diminuindo a cada mês", afirma a nota, que continua:


"Por vivermos atrasos de no máximo 15 dias consideramos essa greve política, prejudicando assim aos alunos de nossa Rede Municipal. Os regentes desta greve têm se manifestado contra o empréstimo, solicitado pela Prefeitura, pois sabem que nossa prioridade é o pagamento salarial dos nossos servidores, e isso acontecendo acabariam os motivos para greve".











*Matéria G1.com

 

 

 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada