Educação entra em greve em Cabo Frio e Prefeitura confirma atraso no ano letivo de 2017

Profissionais cobram salário de novembro e benefícios atrasados de 2016

Por em 13/12/2017 10h26
Profissionais da Educação de Cabo Frio iniciaram nesta quarta-feira (13) uma greve por tempo indeterminado para cobrar pagamento atrasado e benefícios. 

Em entrevista, o secretário de Educação de Cabo Frio, Alessandro Teixeira, confirmou que o ano letivo de 2017 da rede municipal só terminará em 2018.

A rede pública tem 87 unidades escolares e 32 mil alunos. O sindicato que representa a categoria não informou a adesão dos profissionais à greve para saber quantas escolas estão sem aulas.

A decisão pelo movimento foi tomada em assembleia na quinta-feira (7), 5º dia útil, quando os profissionais deveriam ter recebido o salário de novembro. Os profissionais da Educação farão uma assembleia na noite desta quarta na Escola Municipal Edilson Duarte para discutir os rumos do movimento.

Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação, a categoria cobra o pagamento do salário do mês de novembro, 13º salário de 2015, mudança de níveis, triênio (benefícios previstos no plano de carreira), vale transporte e enquadramento. A cidade possui 6.117 servidores da Educação.



Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política