Paulinho do Pastor afirma que vai trabalhar para a população da cidade e não para um grupo

Candidato a prefeito, em entrevista, fala sobre os seus projetos para melhor o município cabista

Por Redação JS em 13/09/2016 17h54

Paulinho do Pastor (Rede)  foi o candidato a prefeitura de Arraial do Cabo entrevistado nesta terça-feira, dia 13, pelo Portal JS e Rádio Litoral FM. Confiram as propostas de governo do Paulinho: 



Portal JS: Porque vir candidato a prefeito?

PP – Sou candidato, porque infelizmente hoje não vemos ninguém que possa nos trazer independência de Arraial do Cabo. Nós vemos que os candidatos que se propõem fazem por um grupo e não para a sociedade. Eles não pensam no coletivo, eles pensam no grupo que vai estar à frente da prefeitura.


Portal JS: Depois da falência da Álcalis, o município de Arraial do Cabo passou a ter sérios problemas com relação a empregos. O que o senhor tem de Plano de Governo para que os moradores possam ter emprego?


PP – Arraial do Cabo tem um potencial muito grande, principalmente para a área do Turismo. Nós temos o Porto, um aeroporto com 7km de distância, então hoje petróleo e Turismo são as maiores receitas do mundo. Nós somos privilegiados, temos as melhores praias do Brasil, somos Capital do Mergulho, da Pesca e do Kitsurf, além do Porto que pode estar gerando milhares de emprego, tirando a dependência do povo da Prefeitura. Esse é o nosso foco, nós não queremos que a Prefeitura se torne um voto cabresto, por ser a única geradora de emprego de Arraial do Cabo. Hoje a maior geradora de emprego é Prefeitura e o Supermercado, nós não temos outras opções que possam dar essa qualidade ao morador. A pessoa trabalha quatro anos na prefeitura, não tem uma carteira assinada, não tem fundo de garantia, não tem nada. Queremos trazer dignidade para o morador. 


Portal JS: O que o seu Plano de Governo traz de benefício para o pescador cabista?

PP – Arraial do Cabo, apesar de ser Capital da Pesca, deixou de receber R$2 milhões por falta de projeto exatamente para essa especialidade. Essa verba voltou por falta de estatísticas. Nós temos um projeto, veiculado a certificação e a criação de produtos, para que possamos vender em supermercado. Dar dignidade ao pescador, vender o produto de forma adequada, criar uma cooperativa onde ele pode ter dignidade, e ter seu preço justo.


Portal JS: Arraial do Cabo é uma das cidades mais lindas do mundo. O que falta para a gente ter qualidade de receber o turista?

PP – Essa é a palavra certa: qualidade. Nós só vamos ter uma qualidade no Turismo, depois que nós tivermos uma qualidade de cidade. Infelizmente nós não temos uma qualidade. Todo mundo quer vender a cidade indo nos aeroportos e destruindo panfleto. Primeiro temos que dar qualidade ao morador investindo em saneamento, educação, cultura, gastronomia, hotelaria. Antes de qualquer coisa, temos que arrumar a casa para o morador, para depois arrumar para o turista. Quanto ao turista temos que investir na parte de cultura, hotelaria, realizar eventos, trazer eventos de qualidade e não quantidade. O mercado hoje vende miojo e salsicha. Se a gente puder resgatar essa parte do turismo de transatlântico, falando de R$150 mil que um transatlântico parado deixa por dia na cidade. Realizar projetos ambientais. 


Portal JS: Quanto a Saúde?

PP – Temos que resgatar a dignidade do profissional de Saúde. Hoje temos um problema muito grande nessa questão do Hospital, que a maioria dos nossos leitos são no segundo andar e há mais de um ano o nosso elevador está quebrado. Os maqueiros estão subindo com os pacientes nas cadeiras, isso tem que acabar. Temos que trazer informação, acabou essa era do papel, para a gente agilizar os processos de atendimento e marcação de consulta. Temos que dar dignidade ao funcionário e morador. Nós não temos que inventar a roda, temos é que colocar para funcionar. Nós temos hoje projetos sociais, que o Ministério da Saúde opera, que está junto com o nosso, que é Saúde da Família, Consultório de Rua, Academia da Saúde, Programa de Medicamento, Programa de Saúde nas Escolas, Brasil Sorridente. Trazer um hospital de referência com UTI. 


Portal JS: E a Educação?

PP – Temos que trazer a Educação de Tempo Integral, é um processo muito difícil, mas nós vamos conseguir realizar isso. Trazer creche noturna e de férias, dar qualidade para as mães que saem para trabalhar. Restaurar as aulas noturnas. A nossa vice é professora, trabalhou 23 anos nos distrito e é especialista. Além de dar qualidade para merenda. 


Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Corrupção sem fim!