Escolas municipais sofrem problemas para manter o funcionamento em Cabo Frio

Muitas escolas da cidade estão funcionando de maneira parcial ou então nem abriram as portas ainda.

Por Redação JS em 09/09/2016 15h14

Quem pensa que a greve municipal nas escolas acabou por completo está enganado. Muitas escolas da cidade estão funcionando de maneira parcial ou então nem abriram as portas ainda. Isto porque ou os professores não receberam o pagamernto do mês - e com isso sequer têm dinheiro para se deslocar até o trabalho - ou a escola está com a infraestrutura sem condições de receber os alunos (acúmulo de lixo, infiltrações, falta de pintura, falta de cozinheiros ou merendeiros).

 

Nesta sexta-feira (9), as escolas municipais Professora Talita Hernandes  Perelló (Jardim Esperança) Robinson Carvalho de Azevedo (Parque Burle), Luis Lindenberg (Guarani), Prof. Edilson Duarte (Jardim Caiçara), Vereador Leaquim Schuindt (Jardim Esperança) e Professora Marli Capp (Unamar), estavam com as portas fechadas.

 

Outras estão em funcionamento "normal", mas com restrições de horário: nem todas as escolas têm o período inteiro de aulas. "O ano letivo está por um fio", disse um pai que buscava o filho na porta da escola Américo Vespúcio, no Parque Burle.

 

E casos como a Antônio da Cunha Azevedo, no bairro da Passagem, onde há o aviso que estão trabalhando com "um número muito menor de pessoal".

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas