Estado vai pagar salários integrais de abril de todos os servidores nesta sexta

O valor a ser repassado gira em torno de R$ 1,6 bilhão e será depositado na próxima sexta-feira, 10º dia útil do mês seguinte ao trabalhado, e data marcada para o pagamento.

Por Redação JS em 11/05/2016 17h39

O governo do estado vai anunciar nas próximas horas que realizará o pagamento de abril de todos os mais de 460 mil servidores, entre ativos, aposentados e pensionistas, sem atrasos ou parcelamentos. O valor a ser repassado gira em torno de R$ 1,6 bilhão e será depositado na próxima sexta-feira, 10º dia útil do mês seguinte ao trabalhado, e data marcada para o pagamento.


Uma reunião na Secretaria de Fazenda encaminhou a decisão. Os dados para pagamento já foram enviados à Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão. Secretários de governo estão no Palácio Guanabara para reunião com o governador em exercício, Francisco Dornelles, para consolidarem o anúncio do pagamento.


O Estado cumpre, por hora, a promessa de não atrasar os salários dos servidores públicos. Nas últimas semanas, o governador em exercício, Francisco Dornelles, havia afirmado a intenção do governo de antecipar esse pagamento para o dia 10. Isso não acontece, mas os depósitos serão feitos na data estipulada pelo calendário.


Em função da crise, secretários afirmaram nas últimas semanas que o pagamento não estava garantido. A secretária de planejamento, Cláudia Uchôa, afirmou a servidores que somente arrestos bancários ajudariam na tarefa de pagar a folha de abril.


As dificuldades financeiras do Estado começaram no fim de 2015. Os salários de novembro, por exemplo, foram parcelados. Em um primeiro momento, todos os servidores receberam R$ 2 mil, enquanto o restante foi pago durante o mês de dezembro.


Os salários de janeiro já foram pagos no 5º dia útil do mês seguinte ao trabalhado. A decisão de postergar a data deu condições ao governo de quitar o pagamento integralmente. Em fevereiro, porém, isso não foi possível. O governo atrasou em dois dias o depósito de todos os salários. Para piorar, um decreto postergou os pagamento nos meses seguintes para até o 10º dia útil do mês seguinte ao trabalhado.


Mas o pior ainda estava por vir. Os salários de março viraram novela em função da negativa federal de bancar um empréstimo de R$ 1 bilhão para ajudar com as contas do Rioprevidência. O resultado foi a decisão de não pagar 137 mil aposentados e pensionistas que recebem mais de R$ 2 mil líquidos. A ideia do governo era pagar os ex-funcionários apenas no dia 12 de maio, mas um arresto judicial tirou das contas públicas R$ 648 milhões e repassou o valor aos servidores.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas