Festa de centenário da Aviação atrai cerca de 20 mil à base de São Pedro

Abertura dos portões também comemorou 50 anos da Marinha na cidade. Esquadrilha da Fumaça fez apresentação durante a manhã de sábado (21).

Por Redação JS em 21/05/2016 20h54

A Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia, abriu os portões à população durante o sábado (21). O evento, que durou até as 16h, fez parte das comemorações pelo Centenário da Aviação da Marinha e pelos 50 anos da base em São Pedro. Cerca de 20 mil pessoas visitaram o local. No céu, a esquadrilha da fumaça fez uma apresentação que animou os visitantes.


A programação contou com exposição de fotos com a história do centenário. Os visitantes puderam conhecer o primeiro avião da Marinha e a primeira turma de pilotos.


O Chefe de Estado-Maior da Aviação Naval, comandante Fonseca Junior, afirmou que a quebra na rotina foi positiva.


"É uma satisfação muito grande estar recebendo aqui a nossa população local. É um momento de festa, comemoração dos 100 anos da Aviação Naval. Uma aviação que é pioneira na História do Brasil. Começou em 1916 e hoje é um dia de grande satisfação para nós que trabalhamos aqui diariamente".


Esta foi a segunda vez que a base de São Pedro ficou aberta ao público. As aeronaves ficaram expostas nos hangares da Marinha e a população aproveitou para tirar fotos. Os veículos usados em combates pelos fuzileiros navais também estavam à disposição para quem quisesse conhecer.


As crianças aproveitaram para subir nos tanques. Entre elas, Bernardo Batistiolle, de 10 anos, que aprovou a experiência: "É bem legal aqui as exposições dos anques, dos caminhões. Achei bem maneiro. Parece que você tá dentro de uma guerra assim... é muito doido". 


Centenário da Aviação Naval

Aviação da Marinha do Brasil completará 100 anos de história em agosto deste ano. Como pioneira no Brasil, a Aviação Naval contribuiu com o desbravamento das rotas aéreas do litoral e em operações de patrulha durante a Primeira Guerra Mundial. Em 1941, a Aviação da Marinha cedeu pessoal, bases aéreas navais e aviões para a criação da Força Aérea Brasileira.

Atualmente, além de patrulhar mares e águas interiores, os aviões e helicópteros são destinados para missões, além de apoio à Defesa Civil em situações de calamidade pública, como enchentes, incêndios florestais e desastres ambientais.








*Matéria G1.com

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Infarto - Editorial JS