Forças Armadas vão reforçar a segurança nos Jogos

Ao todo, 85 mil profissionais atuarão nas Olimpíadas

Por em 17/06/2016 09h05
O governador em exercício, Francisco Dornelles, enviou, na quarta-feira (15/6), ofício ao presidente interino, Michel Temer, solicitando o emprego das Forças Armadas na cidade do Rio de Janeiro, de 24 de julho a 19 de setembro. O objetivo é reforçar a segurança de atletas, turistas e autoridades durante as Olimpíadas e Paralimpíadas. Parte do efetivo de 15 mil militares do Exército, que ficaria de prontidão nos quartéis, deve atuar no policiamento ostensivo de vias expressas como as linhas Vermelha e Amarela e a Avenida Brasil, Aeroporto Internacional Tom Jobim, terminais rodoviários e no bairro de Deodoro, onde fica o Complexo Esportivo dos Jogos.


Ao todo, cerca de 85 mil profissionais vão trabalhar em conjunto durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos: 47 mil agentes de segurança e 38 mil militares das Forças Armadas. No documento enviado ao governo federal, Dornelles destacou que, devido aos Jogos, ao elevado número de visitantes e às inúmeras atrações paralelas, a Polícia Militar não teria recursos operacionais (logísticos e humanos) para cumprir todas as demandas. Ele ressaltou que a Força Nacional será empregada, de maneira maciça, nas instalações olímpicas.


Detalhamento das ações

Após reunião do Comitê Executivo de Segurança Integrada Regional (CESIR/RJ), realizada nesta quinta-feira (16/6) no Gabinete de Gestão de Crise do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, explicou que o planejamento e detalhamento operacionais das áreas que serão patrulhadas pelas Forças Armadas serão definidos pelo Ministério da Defesa.

– A vinda das Forças Armadas estava prevista e fizemos o pedido, estabelecendo determinadas áreas que ficarão sob a responsabilidade e competência do Ministério da Defesa. Eles vão analisar essas áreas e definir o tipo de equipamentos e a quantidade de militares. Em um evento com a dimensão de uma Olimpíada, é obvio que a PM de qualquer estado brasileiro ou qualquer polícia do mundo não faz sozinha – disse Beltrame.

Também participaram da reunião, o subsecretário Extraordinário de Grandes Eventos da Secretaria de Segurança, Roberto Alzir; o superintendente Extraordinário para Grandes Eventos da Secretaria de Defesa Civil, coronel bombeiro Wanius Amorim; e outras autoridades.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas