Governo do RJ confirma saída de Beltrame após 2º turno das eleições

Substituto ainda não foi escolhido. Secretário de Segurança pediu exoneração do cargo

Por em 11/10/2016 11h47
O governo do Rio de Janeiro confirmou nesta terça-feira (11) a saída do secretário de Segurança Pública do estado, José Mariano Beltrame, do cargo. De acordo com a assessoria de imprensa do governo, apesar da confirmação, o secretário só deixará o cargo após o segundo turno das eleições. Beltrame foi quem pediu demissão, segundo o estado. O substituto ainda não foi escolhido.

O governador licenciado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, disse nesta manhã, em Brasília, que vai pedir para que José Mariano Beltrame fique no governo até o fim da gestão, em dezembro de 2018.

No entanto, Pezão disse que o secretário está “cansado” e, por isso, não pode exigir a permanência dele. Pezão falou com jornalistas em Brasília, após uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Questionado sobre uma eventual saída de Beltrame, o governador licenciado disse que não conversou com o secretário e que não sabe se ele tocou no assunto em reunião com o governador em exercício, Francisco Dornelles.

“Eu não tive a oportunidade de falar com ele. Se eu tiver a oportunidade, vou pedir para ele que fique até o fim do governo. Agora eu também não posso exigir que uma pessoa que está há 10 anos à frente da segurança pública continue. Eu me preocupo muito, porque ele está cansado".

Pezão afirmou ainda que em novembro, quando voltará da licença médica, deverá ter uma conversa com Beltrame. “Ele respeitou muito a minha doença. Ele falou: ‘Pezão, eu vou esperar você voltar para a gente conversar’. E eu volto em novembro”, afirmou Pezão.


Beltrame

José Mariano Beltrame está na Secretaria de Segurança desde 2007. Beltrame é formado em Direito pela Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em Administração de Empresas e Administração Pública pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Especializou-se em Inteligência Estratégica na Universidade Salgado de Oliveira e na Escola Superior de Guerra.

Fez curso de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública e de Análise de Dados de Inteligência Policial, Sistema Guardião. Ingressou no Departamento de Polícia Federal no ano de 1981 como agente, principalmente, na área de repressão a entorpecentes. Exerceu funções no setor de inteligência, combatendo o crime organizado em vários Estados brasileiros
Na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, como delegado de Polícia Federal, Beltrame foi coordenador da Missão Suporte, chefe do Serviço de Inteligência e da Interpol.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano