Guilherme Moreira: “Temos que nos unir para fazer com que Cabo Frio volte a funcionar”

Vereador eleito acredita que com a união de todos da Câmara, eles conseguirão fazer a diferença que o povo deseja

Por Redação JS em 10/10/2016 15h09
O Portal JS e a Rádio Litoral FM começaram a semana com uma série de entrevistas com os políticos eleitos da região. Para começar, nessa segunda-feira, dia 10, o primeiro entrevistado foi o vereador eleito com 1.404 votos, Guilherme Moreira do PPS. Confira:

JS: Como foi essa campanha?
GM: Nós fizemos uma campanha diferente. Decidi dar total transparência, o que é necessário na cidade, não enganei ninguém e mudei esse modelo de campanha assistencialista pelo da verdade. Aquela campanha antiga de ir de porta em porta que foi abandonada há tempos. Fui de porta em porta, boca a boca, pedindo e alimentando as pessoas de esperança. A nossa cidade hoje precisa de esperança e mudança. 

JS: Hoje você é o mais jovem da Câmara, né?
GM: Sim. Sou o mais jovem. 

JS: E o que você espera do seu mandato? Nós vimos que dez vereadores não foram reeleitos, sendo que sete não concorreram. 
GM: Foi um recado do povo. O povo estava insatisfeito, continua insatisfeito, colocou nas ruas a indiferença e mostrou que eles são a força. Uma legislatura hoje tem que ser feita com verdade e não adianta prometer as coisas hoje na nossa cidade. Nós temos que fazer com que a cidade volte a funcionar, fiscalizando principalmente. O principal papel do legislador é fiscalizar. Então, nos fomos eleitos para a mudança da cidade. O povo deu o recado e agora nós somos as pessoas que vamos passar esse recado lá na Câmara. Hoje o legislador tem que trabalhar para o povo, dar total transparência para o povo e demonstrar para o povo que eles é que são os coordenadores da cidade pela eleição. Graças a Deus, o povo, dessa vez, fez a coisa certa, renovou a Câmara e nós agora que temos que representar bem o povo. 

JS: E vocês, os eleitos, já tem conversado?
GM: Já sim. Já conversei muito, porque eu acho que o trabalho não é só em janeiro. Tem que começar de agora, porque a cidade precisa de muito trabalho. Estamos montando projetos, para que a cidade, desde o início, seja retomada a economia, que os salários voltem a ser pagos o mais rápido possível. Nós temos que unir, sendo oposição ou não, e fazer a diferença. Não precisamos de problemas políticos, e sim de uma união de 17 vereadores, todos antenados, dispostos a trabalhar muito. Não vai ser fácil, mas eu tenho fé que vai dar tudo certo. 

JS: Como está a conversa pela cadeira da presidência?
GM: Essa conversa vem acontecendo. Eu sou o mais votado do partido PPS, que foi a base aliada do partido com mais votos. Tivemos uma expressão boa e são três candidatos novos. Nós estamos analisando quem deve ser o presidente da Câmara. A população pediu mudança e a mudança também passa por ali.

JS: Gostaria de fazer as considerações finais?
GM: Gostaria de agradecer. Eu como sou bem jovem, estou vivendo um sonho e um sonho político não pode ser vivido por uma só pessoa. O sonho político hoje é um sonho de todos. Então, queria agradecer aos meus amigos, familiares, os meus companheiros de luta. Conquistei voto a voto da maneira certa e vou trabalhar da maneira certa. Estou colocando o nosso gabinete a disposição. Ali é a Casa do Povo. E a Casa precisa do povo. Sou um funcionário do povo agora, a partir de 1º de janeiro. 


Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada