“Iguaba tem a maior renda per capita da região e não tem nada que está funcionando bem"

Ex-prefeito de Iguaba Grande, Hugo Canellas, afirma que vai resgatar a autoestima do povo e estabelecer a ordem na cidade

Por Redação JS em 31/08/2016 09h38
Na manhã desta quarta-feira, dia 31, o Portal JS, em parceria com a Rádio Litoral FM, voltou a entrevistar mais um candidato a Prefeitura de Iguaba Grande. Desta vez, o entrevistado foi o ex-prefeito, que teve dois mandatos, Hugo Canellas (PSB). De acordo com Hugo, entre suas ações está restabelecer ordem na Saúde, Educação e pagar em dia o servidor. Confira:


Portal JS: Nesses dois mandatos, o que Iguaba Grande avançou?
HC – Avançou muito. Nós pertencíamos a São Pedro da Aldeia e não tínhamos retorno de nada. Então, nós fizemos o processo de emancipação muito complicado e a cidade conseguiu avançar em muitas coisas, como escolas, saúde, projetos sociais, máquinas.  O carro chefe do nosso compromisso de governo é recuperar a nossa Saúde. A Saúde não pode esperar. A Saúde tem pressa e não se pode errar. Tínhamos uma Saúde humanizada. Sendo eleito, já vamos restabelecer os convênios. 


Porta JS: E o que o senhor tem de Plano de Governo para a Educação?
HC – Esse ano de 2016, eu vi e presenciei as mães dormindo na fila para garantir uma vaga e ficaram dois dias acampadas. Iguaba não aumentou os números de escolas, desmancharam até um colégio. Como não tem vaga e ainda acabam com um colégio? Temos que corrigir isso logo. Tínhamos uma Educação de qualidade e hoje o aluno tem que comprar o uniforme. Na minha época, eu dava uniforme, sapato, caderno, agenda e tínhamos uma merenda de qualidade. E olha que não tínhamos essa renda toda não. Iguaba tem a maior renda per capita da Região dos Lagos e não tem nada que está funcionando bem, está um caos. Vamos encontrar uma dívida de mais de R$ 20 milhões. 


Portal JS: Se eleito, qual seria a primeira atitude do senhor?
HC – Eu aprendi com o ex-governador, o já falecido, Marcelo Alencar, que quando você estiver em crise na sua prefeitura, a primeira coisa que tem que  fazer é proteger o salário do servidor. Porque é ele que vai te ajudar a reestabelecer a ordem pública. Hoje os funcionários de Iguaba estão recebendo com até 45 ou 50 dias de atraso.  O que tenho que fazer é pagar, logo no começo de janeiro de 2017, dentro dos 30 dias. Como sempre aconteceu em Iguaba, só está acontecendo isso agora nesse governo que está ai.  Eu preciso do funcionário público do meu lado, como meu amigo, meu aliado, para restabelecermos as finanças do município, o que é fundamental.


Portal JS: Nesse momento de crise, como vai fazer para estabelecer o pagamento em dia do servidor?
HC – Tem que cortar os gastos que sai pelo ralo, as gorduras, secar a folha. Porém, é claro que manter aquilo que não podemos abrir mão, como Saúde, Educação, Projetos Sociais. Cortar os contratados. Não pode acontecer como aconteceu agora que a prefeita aumentou o próprio salário dela em três vezes. Aumentou para ela, vice-prefeito e secretários, quanto não subiu a folha de pagamento? Iguaba tem 15 subsecretários, município nenhum da região tem isso. Fora os fantasmas que tem lá. Sei de um médico na nossa cidade, que é vereador, que está ganhando mais que a prefeita. O salário dele é maior que o dela. Isso tudo tem que ser adequado. A crise é institucional. Não foi a crise que abalou a estrutura da cidade, foi a crise institucional, que é  a pior que tem.  Nosso compromisso é esse, estabelecer a ordem da cidade. O que é prioritário. 


Portal JS: Sobre a APAE de Iguaba Grande estar fechada, qual a atitude que o senhor tomaria para estabelecer a ordem?
HC – Eu fui fundador da APAE. Tive uma entrevista agora com Romário e ele falou que precisa que a APAE volte nos primeiros três meses, ele tem uma filha especial e sabe o quanto que essas famílias precisam e como é difícil. Então, é um comprometimento meu que até março, se Deus quiser, eu vou restabelecer a APAE. Não botar para funcionar só, funcionar com profissionais que precisam como, por exemplo, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, psicólogo, entre outros.


Portal JS: Como que anda o turista de Iguaba Grande hoje?
HC – Está acabado. Não tem mais nada na cidade. O verão de Iguaba foi o pior possível, não teve evento na rua principal. Acabou a queima de fogos, festas evangélicas, rodeios, campeonatos de futebol. Vamos restabelecer. Depois eles falam que tem compromisso, é mentira. Compromisso é isso que nós vamos fazer. Uma cidade não vive de festa, mas quando chega o final de semana ou feriado prolongado, você quer ter uma atração.


Portal JS: O senhor quer fazer considerações finais?
HC – Quero dizer que nós estamos em campanha política difícil, de sola, sapato e saliva. Estou indo em todos os bairros de Iguaba Grande, levando as nossas propostas para as pessoas e precisamos de vocês. Peço que comparem como era Iguaba Grande e como está.  

 


Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa