Infarto - Editorial JS

Por Vilma Matos em 12/12/2017 15h45

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o infarto agudo do miocárdio – mais conhecido como ataque cardíaco, registra uma média anual de 70 mil mortes.


O infarto não escolhe idade, sexo ou raça. Ele é um inimigo silencioso, tem caso que a pessoa nem está ciente que tem um problema tão sério no coração.


Existem alguns fatores de risco que contribuem para o infarto: tabagismo, sedentarismo, diabetes, estresse emocional, obesidade, hipertensão arterial e as chamadas “drogas ilícitas”.


Os sintomas podem ser identificados, primeiramente por uma dor forte no peito, uma grande pressão, e esta dor não cessa, irradiando para os braços, pescoço e queixo. Em seguida vem a falta de ar, tontura e suor frio. Não pense duas vezes, qualquer sintoma desses procure imediatamente um medico.


O infarto fulminante causa a morte súbita. Após um infarto, o coração pode parar de funcionar por ter sofrido necrose em uma extensa área do seu músculo ou por ter surgido uma arritmia maligna. O infarto fulminante leva o paciente ao óbito sem que já tempo de atendimento médico.


A rapidez no atendimento é um dos fatores fundamentais para salvar a vida.




Vilma Matos

vilmalua@yahoo.com.br

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política