IR: confira 15 erros que podem levar o contribuinte para a malha fina

Se você quiser ficar longe da malha fina, confira os principais erros que devem ser evitados para que a declaração não caia nas garras do Leão.

Por Redação JS* em 24/04/2016 13h50

Há cinco dias para o fim do prazo para os contribuintes ficarem em dia com a declaração do Imposto de Renda, milhares de brasileiros ainda não acertaram as contas com o Leão. Para evitar dor de cabeça com o Fisco e evitar a Malha Fina, é preciso se organizar nesta reta final. Dados da Receita Federal mostram que a omissão de rendimentos e números errados ou incompatíveis nos valores declarados com despesas dedutíveis estão entre as principais razões que costumam levar o contribuinte à malha fina. Em 2015, por exemplo, 617.695 documentos ficaram retidos na malha fina, o que corresponde a 2,1% do total de declarações entregues.


Os contribuintes que enviaram a declaração no início do prazo, sem erros, omissões ou inconsistências, recebem mais cedo as restituições do Imposto de Renda – caso tenham direito a ela. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade. Os valores normalmente começam a ser pagos em junho e seguem até dezembro.


Neste ano, deve declarar o IR as pessoas físicas residentes no Brasil que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.123,91 em 2015 (ano-base para a declaração do IR deste ano). Vale destacar que, quem omite rendimentos na declaração de Imposto de Renda, está sujeito à multa de 75% do valor do IR devido. E se for caracterizada fraude, o percentual sobe para 150%. — Nesta reta final o contribuinte precisa ter em mãos todos os documentos necessários para a declaração, tais como informe de rendimentos dos bancos; informe de rendimentos do empregador; recibos e notas fiscais de serviços médicos e odontológicos, entre outros. Além disso, é importante ficar atento à declaração e não confiar em qualquer dica, especialmente as que vêm de fontes desconhecidas na internet. — diz Welinton Mota, diretor tributário da Confirp, Consultoria Contábil.


Dúvidas com a declaração


Acostumada a prestar contas ao Leão, a jornalista Diana Dantas, de 30 anos, diz que, neste ano, não teve outra opção a não ser deixar a declaração para a última hora. — Saí da empresa onde trabalhava no ano passado e, após receber uma parcela do seguro-desemprego, o mesmo foi cancelado, com a alegação de que eu tinha um CNPJ e, portanto, deveria ter outra forma de renda. Pelo que eu soube, isso é ilegal e eu não sei como declarar agora estes valores. Agora, receio cair na malha fina — diz a jornalista, que só deve enviar a declaração à Receita Federal nos últimos dias do prazo.


Se você quiser ficar longe da malha fina, confira os principais erros que devem ser evitados para que a declaração não caia nas garras do Leão.







*Matéria Extra.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas