Janio Mendes: "Vou tentar pescar no “aquário” de Marquinho e Alair"

Deputado confirmou sua pré-candidatura a prefeito de Cabo Frio

Por Jamyne Sant' Anna - Rádio Litoral FM em 25/01/2016 17h17

O Deputado estadual, Jânio Mendes (PDT) esteve na manhã desta segunda-feira (25), no Programa Bom Dia Litoral, com Ademilton Ferreira.


Durante a entrevista, o deputado abordou diversos assuntos, mas ressaltou o atual cenário do município. “Eu lembro que quando Alair se elegeu, foi um tempo em que eles pegavam porcos e soltavam na praça. Amarram uma vez um cavalo na porta da igreja pra dizer o que José Bonifácio tinha abandonado e tinha deixado a cidade cheia de lixo. Hoje não precisa de nada disso. Os urubus invadem a cidade, porque a cidade está largada, está suja, está abandonada. O feitiço virou contra o feiticeiro. Lá era uma cidade que não tinha royalties e hoje é uma cidade, e é preciso que se pergunte o que foi feito com RS 8.000.000.000 de reais da cidade de Cabo Frio em 20 anos?” – Indagou o deputado.


Em outro momento da entrevista, Jânio Mendes falou sobre os desafios das eleições 2016: “Eu tenho que ter a capacidade de reunir em torno da minha candidatura aliados que hoje discutem a questão dos 20 anos do modelo político da cidade e juntar um grupo, o grupo que foi de José Bonifácio e trazer o novo, trazer pessoas novas que estão na cidade e que estão experimentando. Experimentaram os dois lados, a bonança dos shows e hoje esse caos que a gente está vivendo na cidade. Então é esse é o desafio, e é um bom desafio porque a gente vai ter a oportunidade de discutirmos no campo das ideias”.


Sobre alianças políticas, e conversas com outros políticos da cidade, Janio declarou: “Neste carnaval, se Dr. Adriano Moreno, Dr. Paulo Cesar e Claudio Leitão quiserem desfilar na Portela, eu vou desfilar na mesma ala que eles. Se eles quiserem ir para algum bloco em Cabo Frio, eu vou tentar vestir o mesmo abada, para conversarmos. Tenho conversado bastante com Silas Bento, que é um grande amigo, uma pessoa que tem muito para contribuir com a cidade. Não dá mais para fazer política com enganação e demagogia, temos que conversar, conversar não tira pedaço, ao contrário, a troca de ideias faz com que os dois lados cresçam. Vou buscar a conversa intensamente, e vou tentar pescar no “aquário” do Marquinho Mendes e do Alair Corrêa, os “peixes” bons, peixe para me espetar veneno eu não quero, vou fazer uma pesca seletiva.”


O deputado finalizou dizendo que tem muito orgulho em dizer que passou pela vida pública esses anos todos fazendo oposição ao modelo desses 20 anos. “Nenhum deles pode apontar o dedo na minha cara e dizer que eu não posso falar algo porque você ganhou portaria para o seu irmão, para o seu pai, para os seus cabos eleitorais. Nenhum deles! Alair me critica de todas as maneiras, mas dizer que eu levei alguma vantagem com ele, isso ele nunca pôde dizer. Marquinhos a mesma coisa. Eu sempre preservei essa titularidade de ter ética para poder criticar.” – Finalizou.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano