Jeffinho do Gás: “Vou provar que sou um homem correto, que estou aqui para fazer a diferença"

É o que afirma o vice-presidente da Câmara de Vereadores de Iguaba Grande, sobre a investigação de um assassinato na cidade

Por Redação JS em 03/06/2017 12h31

A equipe do Jornal de Sábado esteve em Iguaba Grande, nessa semana, para um encontro com o vice-presidente da Câmara Municipal de Vereadores, o Jefferson Ferreira Martini (PTC).


Jeffinho do Gás, como é popularmente conhecido, é empresário na Baixa Fluminense e escolheu a cidade de Iguaba Grande, há três anos, para viver com sua família. Aos 33 anos, o jovem homem está enfrentando um novo desafio em sua vida, o da política.


Em sua primeira candidatura, Jefferson se elegeu vereador no município com 410 votos e ocupa a cadeira de vice-presidente da Casa Legislativa. De acordo com o vereador, seu objetivo é trabalhar, principalmente, para crianças e jovens de Iguaba Grande, levando até eles projetos que englobam três grandes vertentes: Cultura, Educação e Esporte.



O projeto “Praça em Movimento”, de autoria do vereador, é um dos grandes acontecimentos na cidade nos últimos tempos. Através desse projeto, ele consegue levar até a população peças de teatro, cinema, música e dança, todas às sextas-feiras, na Praça Edyla Pinheiro. No último mês, por exemplo, os iguabenses puderam conferir a peça “Alice no País das Maravilhas”, o filme “Kung Fu Panda 3”, apresentação do espetáculo “Mafuá”, entre tantos outros.


“Tenho um carinho enorme por esse projeto. Através dele, conseguimos trazer um pouco mais de Cultura para a nossa cidade. Nós tínhamos crianças aqui, por exemplo, que nunca tinham assisto a uma peça de teatro e hoje todos nós esperamos ansiosamente a sexta-feira para assistirmos as apresentações”, comenta o vereador.


Uma novidade que o vereador revelou a nossa equipe é que a partir de julho ele vai lançar o projeto “Praça Itinerante”, que consiste em levar esses espetáculos para outros bairros. “A população dos bairros mais afastados estão me pedindo por essas apresentações também. Muitos não têm carro, não tem como voltar no fim de noite para casa, então, atendendo a solicitação deles, cada semana um bairro diferente terá um evento nosso”, afirma.


Outro projeto do vereador Jeffinho é o “Despertando Talento”, onde as crianças da rede municipal de ensino podem participar de aulas de dança, balé, karatê, jiu-jítsu, jazz e aulas de violão. “O incentivo ao Esporte é uma das prioridades do meu mandato, os jovens estavam ociosos. Vi que os jovens precisavam de incentivo. Mês passado nós realizamos a 1ª Etapa Estadual de Muay-Thai e no aniversário da cidade vai ter o Campeonato de Natação. Ou seja, alegria, diversão e arte é uma das metas do meu mandato”, explica o vereador.


Mas o vereador, como ele gosta de dizer, não para. Até o momento dessa entrevista, ele teve 78 indicações feitas e que foram 100% atendidas pela prefeita Grasiella Magalhães. Entre elas, iluminação nas Ruas Portugal, França, Inglaterra, Av. Beira Rio, entre outras. Patrolamento de diversas ruas; implantação de redutores de velocidade; asfaltamento de ruas que rodeiam escolas; construção de guarita para Guarda Municipal na Praça Estação; manutenção de aparelhos de ar condicionado de escolas; manilhamento do Canal Beira Rio; reforma do prédio do antigo DPO para uso por parte do futuro destacamento do Corpo de Bombeiro; entre tantas outras indicações.


“Estou sempre na rua ouvindo a população. Desde o momento que tomei a decisão de ser político, vou trabalhar pelo povo. A população pode esperar que virá muito mais por aí. O trabalho não para”, garante.

 


INVESTIGAÇÃO


Contudo, nem tudo são flores, como diz o ditado, na vida do Jeffinho. Na última quarta-feira, dia 31, às 6h15 da manhã, sua família foi surpreendida em casa por uma equipe de 16 homens da Divisão Homicídios de Niterói e São Gonçalo, em busca de apreensão de celular, computador, arma de fogo, pen-drives e documentos. Diligências também foram realizadas na Câmara Municipal, onde levaram o computador do vereador.


De acordo com o vereador, ele não é acusado e nem indiciado, é testemunha no assassinato de um empresário, o Cariri, Carlos Henrique de Souza. No caso, o vereador comprou há dois anos e meio um terreno desse empresário, que faleceu antes dele terminar de pagar. Portanto, na última quinta-feira, dia 1º, o vereador foi até Niterói para prestar esclarecimentos.


“Fui citado que tinha um débito com o falecido e a polícia está investigando. Inclusive entreguei a eles o documento original desse terreno. Estão investigando todo mundo que tinha uma ligação com esse falecido. Estou arrolado nesse processo, eles vão investigar e descartar menos um. Vão ver que eu não tenho nada haver com isso. Estou tranquilo. Estou à disposição da justiça para o que der e vier”, disse.

Na cidade, no dia do ocorrido, muito se falava sobre o que teria acontecido com o vereador e várias especulações surgiram.


“As pessoas falam muito por aí. Falaram que estava preso, sai algemado, mas fui normalmente na Câmara trabalhar. Estamos incomodando muita gente com o nosso trabalho. Eu sou do bem, estou aqui para fazer um trabalho. Vim para fazer um trabalho sério e não vou parar. Vou provar que sou um homem correto, que estou aqui para fazer a diferença na cidade”, finalizou.

 

 

 

 

 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa