Jogador preso por estupro sai hoje da cadeia, diz defesa

O jogador continua sendo investigado, mas a polícia não encontrou indícios que justifiquem mantê-lo preso.

Por Redação JS* em 03/06/2016 12h21

Os advogados do jogador Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, suspeito de participação no estupro coletivo de uma jovem de 16 anos, não têm dúvida de que ele deixa ainda nesta sexta-feira o Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio. O rapaz foi transferido para um presídio nesta quinta e passou a noite na cadeia. Mas, além de a defesa dele já ter entrado na Justiça com um pedido de revogação da prisão, a própria delegada que investiga a violência sexual, Cristiana Bento, pediu a liberação de Lucas. O jogador continua sendo investigado, mas a polícia não encontrou indícios que justifiquem mantê-lo preso.


- Ele vai sair do presídio por volta de 11h30m, meio-dia. Depende dos trâmites burocráticos - disse Eduardo Antunes.



Na manhã desta sexta-feira, a família do jovem já aguardava a liberação de Lucas do lado de fora do presídio. O pai, Sílvio César Duarte Santos, de 50 anos, não esconde a ansiedade: só pensa em abraçar o filho.


- Só agora nós (a família) estamos conseguindo dormir e comer. Estou muito feliz de vir buscar meu filho de um lugar onde ele nem deveria estar. Mas a Justiça tem que trabalhar - disse.


Ele contou que no encontro ocorrido nesta quinta, Cidade da Polícia, no Jacarezinho, Zona Norte da cidade, onde Lucas estava preso, abraçou e chorou com o filho, que disse ser inocente.


- O tempo todo ele dizia: "Pai não tenho culpa. Não participei" - lmenrou Sílvio.


Além de Sílvio, Clayderman, irmão do jogador, também está em frente ao presídio. Lucas foi preso nesta terça-feira, quando dava uma entrevista no Centro do Rio.


'Sou um cidadão do bem'


No sábado antes de ser preso, Lucas fez uma postagem no Facebookem que afirmou não ser estuprador e disse que, se fosse, não estaria vivo. “Eu não preciso disso! Sou um cidadão do bem pra ser respeitado. Peço a todos que orem por mim”. No fim do texto, ele coloca o trecho de uma música de uma cantora gospel: “Meu advogado é o meu Senhor. Ele me defende do acusador”.



Na foto da postagem, o jogador está com Raí de Souza, que está preso por suspeita de envolvimento no estupro coletivo.


Mais duas prisões pedidas


Nesta quinta-feira, a delegada Cristiana Bento, titular da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) pediu à Justiça a prisão de mais dois traficantes suspeitos de terem participado do estupro coletivo: um deles é Moisés Camilo de Lucena, de 28 anos, e o outro foi identificado apenas como Jefinho. O último teria feito o vídeo que viralizou na internet. Nele, a jovem está nua, desacordada e tem as partes íntimas tocadas.










*Matéria Extra

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano