Justiça cancela shows e fogos no Réveillon de Cabo Frio; cabe recurso

Decisão do Juiz Bruno Ruliére foi a pedido do Ministério Público. Prefeitura não pediu autorizações aos órgãos competentes.

Por em 24/12/2015 13h23

A Justiça acatou o pedido do Ministério Público para cancelamento dos shows e queima de fogos no Réveillon de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio. A decisão do juiz Bruno Ruliére, responsável pelo plantão judiciário nesta noite de quarta (23) para quinta-feira (24), ainda cabe recurso.

 

Segundo a denúncia da promotora Vânia Cirne Manhães, a Prefeitura não protocolou os pedidos de autorização nos órgãos competentes: Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Polícia Civil. A Prefeitura declarou que as exigências serão cumpridas a tempo. A promotora também está preocupada com o fechamento da UPA da cidade e o suporte para o atendimento de saúde no período.


"Para realização de qualquer evento, há a necessidade de autorização dos órgãos públicos responsáveis pela segurança. Nós entramos em contato com esses órgãos e não havia sido feita a solicitação pelo município de autorização para a realização desse evento, o que coloca em risco a segurança das pessoas que vão participar porque, normalmente, são eventos que tendem a atrair uma quantidade muito grande de pessoas", disse a promotora.


A Prefeitura de Cabo Frio não se posionou sobre a proibição da Justiça até o momento. Na quarta-feira, após o pedido de cancelamento da festa feito pelo MP, a Prefeitura disse, por meio de nota, que só agora concluiu as negociações para que uma empresa privada patrocine o evento. Ainda de acordo com a Prefeitura, as exigências para a realização do evento serão cumpridas.





Matéria: G1- Região dos Lagos

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas