Mãe de jovem eletrocutada será recebida por Presidente da Ampla

Gabriela Machado morreu após ser eletrocutada por um cabo de média tensão

Por Redação JS em 31/03/2016 15h00

Rosane Machado, mãe da jovem Gabriela Machado, que se hoje viva teria 19 anos, que foi eletrocutada no dia 07 fevereiro, será recebida pelo presidente da Ampla, no próximo dia 05 de Abril às 11 horas, pelo presidente da Ampla, Marcelo Andrés Llévenes Rebolledo, no escritório da empresa em Niterói.


Segundo Rosane, a empresa vem tendo todo cuidado com a família, desde o acidente que vitimou sua filha. Quanto as questões jurídicas do caso, a mãe de Gabriela diz que ainda não deu entrada em nenhum procedimento na justiça, mas futuramente, deverá entrar com uma ação pública.


Ela diz também, que hoje a preocupação dela e de sua família, é que casos como o da sua filha, não se repitam. Para isso, ela vem se juntando a outras famílias que sofreram do mesmo caso, como as de São Gonçalo e Rio Bonito, para que juntas possam fazer com que Ampla priorize a manutenção de seus cabos de energia.


No dia 22 de março, o Portal JS publicou uma carta escrita por Zane, para o presidente da Ampla, que fez com que a empresa entrasse em contato com a família e marcasse um encontro para o presidente.


Reveja a carta e a resposta: 

Ao

Sr Presidente da Ampla Energia e Serviços S/A.

Sr. Marcelo Andrés Llévenes Rebolledo.

 

A vida ou a morte por um fio!

 

Sr. Presidente, gostaria de lhe contar uma história real de uma família como tantas outras, que foi construída tendo como a base principal o amor.

 

No dia 22 de março de 1997, fui agraciada por Deus com uma menina linda que veio ao mundo para se juntar aos seus irmãos, Bruno e Gabriel. Demos o nome de Gabriela. A partir daí a nossa família estava formada e feliz, com todos os problemas que uma família enfrenta, tendo a responsabilidade na dedicação e nas preocupações para educar os filhos.

 

Aos quatorze anos da sua vida, fomos surpreendidos com uma gravidez, mas que foi abraçada por nós com muito amor e cuidados que uma gravidez precoce exige. Então nasceu a linda Manu, hoje com apenas 3 anos.

 

Não diferente de todos os jovens da sua idade, a Gabriela JOVEM E MÃE tinha planos, principalmente de dar continuidade a sua vida, para que pudesse proporcionar a nós e a sua filha motivo de orgulho e exemplo. 

 

Todos os dias 22 de março dos 18 anos anteriores, fazíamos aqui uma pequena reunião, onde eu como mãe, fazia questão do seu bolinho e nele depositava seus pedidos ao apagar as velinhas, desejando realizar muito ainda nesta vida.Desejos alguns até engraçados pelo ímpeto de alguém que ainda estava em saída da sua fase adolescente. Nestes dias, eu, como mãe e um pouquinho ciumenta, fazia sempre questão do primeiro pedaço de bolo, e claro, logo o coro dos amigos presentes, dizendo ser ela uma “puxa saco” de marca maior!Não duvide, era mesmo!

 

Hoje senhor presidente, gostaria de lhe perguntar: Quem vai me dar o primeiro pedaço de bolo?

 

Gostaria também de levantar algumas questões, para que eu entenda como deve ser a responsabilidade da sua empresa, ao ter o direito de fornecer a tantas cidades o abastecimento de energia elétrica com compromisso e respeito a vida.

 

Em levantamento próprio, descobri que o mesmo funcionário que o senhor manda subir ao poste para reparar danos e o senhor confia, o mesmo não tem voz quando alerta que uma certa fiação não está adequadamente segura.

 

Que este mesmo funcionário ao informar aos seus superiores do risco, esta informação passa por um calvário até que se chegue ao objetivo final que é o reparo, mandando ainda outra equipe averiguar o relatado. Por muitas vezes pela demora este fio se rompe. Como pode esta inversão de responsabilidade e de confiança?Contraditório não acha?

 

Antes de se promover reparos é ESSENCIAL a prevenção, é na prevenção que diminuímos os ricos de acidentes e mortes.

 

Outro ponto é a logística que não existe em casos como este.

Ao rompimento de uma rede, deveriam enviar no primeiro momento, uma equipe para resguardar o local até que a equipe responsável venha de fato resolver o problema. 



O mais curioso é o não cumprimento de uma pequena cláusula que a SUA EMPRESA assina com a AANEL, onde se diz: Ao rompimento de cabos ou fios de média alta/tensão o fornecimento de energia deve ser IMEDIATO!!! 

 

Poís é, esta falta de cumprimento desta cláusula, pois fim a vida da minha filha, fim a alegria das nossas vidas, minha, dos meu filhos e neta, e até daqueles que a amavam.

 

Gostaria imensamente que o senhor me recebesse, gostaria de ver nos seus olhos a sua solidariedade com a minha dor e mais que isso, lhe perguntar o que o senhor faria, se filhos tem, se eles fossem vitimas da empresa que o senhor administra? Como o senhor trataria esse assunto?

 

Que medidas o senhor tem para que eu tenha a absoluta certeza que não existirão mais acidentes provocados pela falta de manutenção e que não venham a tirar vidas, como a da minha filha, da família de são Gonçalo, da família de Rio Bonito e tantas outras que viraram estatística?

 

Hoje lidamos com tantas cores de alerta em nossas contas, lhe garanto que na minha é PRETA. Preta pelo luto, preta pela irresponsabilidade da ação do homem, preta pela revolta de pagarmos uma conta tão cara e no mínimo que queremos em troca é a RESPONSABILIDADE COM A VIDA DO SEU CLIENTE e não temos.

 

Eu tenho absoluta certeza que há muito o que se fazer Para que outras famílias não venham sentir a nossa dor, que lhe garanto é tamanha.

 

Há de ser revista todo o seu plano de medidas cabíveis para que outras vidas ou mortes não fiquem por um fio!

 

Zane Machado"


 

Reposta da Ampla:



"Prezada Sra. Zane Machado,

 

Li a carta que a senhora me escreveu hoje e gostaria, antes de tudo, de expressar meus profundos sentimentos por sua perda. Faço-o em meu nome pessoal e no de todos os colaboradores da Ampla. 

 

Também sou pai e é difícil imaginar a dor pela qual a senhora e sua família estão passando neste momento. Saiba que minha profunda tristeza pelo que aconteceu com sua filha é sincera.

 

Gostaria de convidá-la para um encontro para conversarmos e esclarecermos as dúvidas que a senhora levantou em sua carta.

 

Entraremos em contato e espero que a senhora possa aceitar o meu convite.

 

Respeitosamente,

 

Marcelo Llèvenes."

 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada