Maranhão recua e revoga decisão de anular sessão do impeachment

Senado decidirá na quarta (11) se afasta presidente Dilma por até 180 dias.

Por Redação JS* em 10/05/2016 07h03

O presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), decidiu na noite desta segunda-feira revogar a decisão que ele próprio anunciou, pela manhã, para anular a votação na Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. A informação foi dada pelo Jornal da Globo.


"Revogo a decisão por mim proferida em 9 de maio de 2016 por meio da qual foram anuladas as sessões do plenário da Câmara dos Deputados ocorridas dias 15, 16 e 17 de abril de 2016, nas quais se deliberou sobre a Denúncia por Crime de Responsabilidade n.1/2015", diz o texto de um dos ofícios assinados por Waldir Maranhão.


O presidente interino assinou dois ofícios, um com a decisão da presidência da Câmara e outro destinado ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A nova deliberação deverá ser publicada nesta terça.



Apesar da desistência, Renan Calheiros já havia decidido ignorar a decisão de Maranhão - chamando-a de "intempestiva" -, e dando prosseguimento ao processo, que tramita desde a semana passada no Senado, e que prevê votação no plenário nesta quarta-feira, dia 10.












*Matéria Extra

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Deus está no controle