Marquinho Mendes: "Vamos ter muito trabalho para reconstruir essa cidade"

Prefeito eleito de Cabo Frio defere sua candidatura e fala sobre o processo, oposição e reconstrução da cidade

Por Redação JS em 18/10/2016 11h16
Marcos da Rocha Mendes, deputado federal e ex-prefeito, foi o vencedor nas urnas na última eleição, mas teve indeferida sua candidatura à Prefeitura de Cabo Frio. Contudo, na noite de ontem, dia 17, em sessão plenária, o TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral) deferiu sua candidatura por 4 votos a 3. 

Portanto, o Portal JS e a Rádio Litoral FM convidaram o Marquinho Mendes para falar sobre o processo. “Foi maravilhoso. Conseguimos, na noite de ontem, que a justiça me declarasse Prefeito de Cabo Frio. Já que as urnas mostraram que a vontade do povo é para a minha volta à prefeitura. Foram de 44.116 votos em mim, uma diferença de quase 20 mil votos para o segundo colocado. A diferença dos votos deixou isso bem claro. Porém, houve um indeferimento de primeira instância e que nós revertemos ontem no TRE, uma vitória que nos possibilita a começar o nosso trabalho. Um dos itens fundamentados foi a votação irresponsável, realizada pela Câmara Municipal de Cabo Frio, aos 45 minutos, por determinação desse prefeito irresponsável, que destruiu a nossa cidade.  Ele pegou o grupo dele, se juntou com Janio, Dr. Adriano e Emanoel Fernandes. Eu tive votos contrários dessa votação irresponsável, passando por cima de uma liminar e mandado de segurança, fazendo uma votação que marcou ontem o TRE por 6 votos a 0. O TRE colocou abaixo essa farsa, já que nas urnas não tiveram capacidade para tal. O Alair não teve capacidade de ser candidato. Ai os candidatos se juntaram apenas contra o Marquinho. Eu sempre mostrei que queria reconstruir. Quero reconstruir essa cidade junto com o povo ”, afirma. 

Agora, Marquinho Mendes afirma ter outra preocupação, que é a transição do atual governo, que está sendo comandando pelo prefeito Alair Corrêa, para ele. “O trabalho de transição que nós teríamos que fazer e que possivelmente não iremos conseguir, por causa desse desgoverno irresponsável que está em Cabo Frio. Vou solicitar isso, que as secretarias possam estar abertas para que os novos secretários possam trabalhar desde já, para saber qual a situação, qual o rombo será deixado. E, se por acaso, esse desgoverno não autorizar, vamos começar nosso trabalhando chamando os nossos secretários, a nossa equipe, porque vamos ter muito trabalho para reconstruir a nossa cidade. A gente precisa fazer um diagnóstico. Sei que não vão deixar a gente fazer um governo de transição. Vamos só conseguir abrir a caixa-preta em janeiro, para dificultar o nosso governo. Alair destruiu uma cidade, não pode sair às ruas. Então, eu estou tranquilo quando a oposição vir, porque político morto é político posto. O atual governo tem que pegar as suas malas e sair do município. Educação não existe mais, Saúde precária, lixo por toda a cidade. Um recado que eu dou para o atual prefeito, se eu tivesse na posição dele, eu ia embora da cidade. Teria vergonha de sair às ruas. Mas tenho certeza que ele ainda tomará medida para prejudicar o nosso governo, mas não tem problema não, estamos preparados e o povo está do nosso lado. E eu tenho fé, Deus está me colocando novamente como prefeito da nossa cidade com a única missão: reconstruir. Tenho certeza absoluta que ele vai me capacitar e a nossa equipe. Vamos tomar medidas drásticas, radicais, mas necessárias para resgatar a nossa cidade. Eu propus a reconstrução, fui o único candidato que apresentou propostas e vamos a partir de janeiro iniciar o processo”, afirma. 

Falando em janeiro, questionamos o prefeito como vai ficar a cidade nas festas da virada do Ano Novo. De acordo com ele, a prioridade imediata é recuperar as finanças do município,  para regularizar os salários dos funcionários. Para investir e colocar as crianças dentro da sala de aula, recuperar as escolas que foram deterioradas. Colocar remédios nos postos, hospitais e técnicos trabalhando para que possa retornar o atendimento. Ele citou também com os serviços sociais, como, por exemplo, a coleta de lixo. “Vamos fazer um mutirão, essa cidade está imunda, vamos limpá-la juntos. Eu vou junto, sou do povo Eu sou uma pessoa do bem, não faço mal as pessoas. Sou grato a todas as pessoas que estão comigo, aos votos. Vamos juntos trabalhar para reconstruir a cidade que está falida, no fundo do poço. Agradeço aos 44.116 mil votos. A responsabilidade é muito grande, mas a vocês que confiaram o voto a Marquinho Mendes na última eleição, podem ter certeza absoluta, nós trabalharemos juntos para a reconstrução”, garante Marquinho. 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Corrupção sem fim!