Nossa fraca seleção

Por Ricardo Sanchez em 11/04/2016 06h50

A Seleção Brasileira segue sendo o prato do dia, servido com Dunga deitado numa caminha de alfaces e com maçã na boca. Depois da vitória do Palmeiras sobre o Corinthians, domingo passado, já havia gritos de fora Dunga e Tite: “queremos Cuca”.


Os apressados culpam o sistema de jogo como responsável pelo baixo rendimento. Pode até ser em certos casos, mas não é o problema principal e basta analisar o jogo com o Uruguai quando o time brilhou no primeiro tempo e caiu assustadoramente no segundo. Eram os mesmos jogadores, o mesmo Dunga e a diferença foi gritante.


Willian, por exemplo, estraçalha num tempo e estaciona no outro. A verdade é que não temos uma Seleção forte na disputa destas eliminatórias, basta ver Equador e Uruguai liderando para sacar a dura realidade.


As Seleções se reúnem e jogam, não treinam, se não há equilíbrio físico, não há entrosamento. Todas dependem de lampejos dos seus principais jogadores. Aos técnicos, sobra esperar que brilhem.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa