Operário da Linha 4 é campeão de jiu-jítsu

Wallace Mesquita divide o tempo entre trabalho e treino

Por em 01/10/2015 13h27
Há dois anos, Wallace Diogo Mesquita, de 31 anos, divide o tempo entre o trabalho como carpinteiro na Linha 4 do Metrô e os treinos de jiu-jítsu no Instituto Reação, na Rocinha. Pela manhã, ele atua como líder de equipe na obra da futura Estação Antero de Quental, no Leblon, na Zona Sul do Rio. À noite, segue para a preparação física e o treino.

- Acordo cedo para trabalhar e durmo tarde, mas meu corpo já está acostumado com o ritmo intenso dos treinos. Comecei a lutar com 17 anos depois que um amigo me convidou, mas já tinha praticado body board e sempre gostei de competir - contou Wallace.

Apaixonado pela luta, comprou o quimono antes de começar as aulas, mas tinha vergonha de entrar na academia. Hoje, participa de campeonatos nacionais e internacionais na categoria peso-pena até 70 quilos. No ano passado venceu os campeonatos Mundial e Pan-Americano, a Copa do Mundo e foi campeão no ranking estadual. Ficou em segundo lugar no Sul-Americano depois de machucar o joelho na semifinal e não poder competir a final.

Dedicação

 A profissão de carpinteiro, ele aprendeu nas obras da Linha 4, onde começou como ajudante por indicação do irmão, o encarregado Alex Silva. Há alguns meses, Wallace foi promovido a líder de equipe e pretende continuar se dedicando até se tornar mestre de obras.

- Tenho que ser guerreiro para conciliar o trabalho e os treinos, porque os dois são importantes para mim. Como a maioria das competições é aqui no Rio e no fim de semana, não atrapalham meu serviço - afirmou o funcionário.

Por sua dedicação e experiência de vida, Wallace costuma conversar com as crianças e jovens do Instituto Reação quando participa de uma competição. No espaço são desenvolvidos projetos educacionais e esportivos com apoio da Superintendência de Desportos do Rio (Suderj), vinculada à Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude.

- Fico orgulhoso de fazer parte deste projeto, que é uma referência. Acho importante que as crianças possam aprender e se exercitar com qualidade, enquanto buscam um futuro melhor - disse o carpinteiro.

No futuro, Wallace quer se dedicar ao MMA (Artes Marciais Mistas).
Tópicos: Jiu-Jitsu

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano