Pezão está internado com infecção intestinal pós quimioterapia

Pezão está quase na metade do ciclo quimioterápico prescrito por seus médicos e entrando numa fase delicada do tratamento.

Por Redação JS* em 16/05/2016 07h12

O governador licenciado Luiz Fernando Pezão foi internado no fim da tarde sábado com infecção gastrointestinal, informou o oncologista Daniel Tabak, um dos médicos que o assistem. Segundo ele, o problema é comum em pacientes que fazem tratamento quimioterápico. Pezão está quase na metade do ciclo quimioterápico prescrito por seus médicos e entrando numa fase delicada do tratamento. O governador licenciado está internado no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo.


— É uma fase que requer muita atenção. É quando a taxa de glóbulos vermelhos cai e as defesas do organismo ficam comprometidas. Ele foi internado com uma infecção gastrointestinal. É um tipo de alteração muito comum. O tratamento é muito tóxico e deixam pacientes vulneráveis a infecções intestinais, pulmonares e cutâneas. O caso dele é menos grave que os demais. Ele está recebendo hidratação. A taxa de glicose já esteve elevada. Agora, está controlada. Ele vai ficar no hospital até que se recupere por completo dessa infecção — explicou Daniel Tabak.


Por meio de nota, o Palácio Guanabara informou que exames realizados na noite de sábado apontaram um quadro de gastroenterite pós ciclo de quimioterapia. Pezão está sendo tratado com antibióticos e seu quadro clínico é estável. O governador está no quarto e não tem previsão de alta.


É a terceira vez que Pezão é hospitalizado depois de ter sido diagnosticado, no fim de março, com um linfoma não-Hodgkin, uma espécie de câncer linfático. Pezão retornou ao hospital porque apresentou febre.


Pezão havia sido internado no dia 12 de março, mas os médicos só chegaram ao diagnóstico de câncer no dia 24. Ele ficou internado até o dia 31 de março e foi submetido à primeira sessão de quimioterapia neste período. Pezão já fez três ciclos de quimioterapia, e pode passar por até mais cinco, dependendo da evolução do seu quadro de saúde. Inicialmente, tirou uma licença de 30 dias, que foi prorrogada duas vezes. Na semana passada, ele decidiu estender a licença até o dia 30 de julho.


Após a primeira sessão de quimioterapia, o governador voltou para o hospital no dia 5 de abril, após ser identificada uma infecção cutânea no lugar onde foi inserido um cateter, perto do ombro, para receber os medicamentos. No dia 13 de abril, deixou o hospital, mas precisou retornar na noite do dia 28, também com um quadro febril provocado por infecção. No dia 3 deste mês, ele havia retornado para casa.










*Matéria Extra

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada