PF cumpre mandados em Cabo Frio e São João da Barra, pela Lava Jato

Operação intitulada 'Arquivo X' investiga contratações feitas pela Petrobras. Não há informações sobre quais empresas da região são alvo da operação.

Por G1.com em 22/09/2016 11h03

A Polícia Federal e a Receita Federal cumprem mandados de busca e apreensão em Cabo Frio e São João da Barra, pela 34ª fase da Operação Lava Jato nesta quinta-feira (22). A ação intitulada "Operação Arquivo X" investiga a contratação de empresas pela Petrobras e acontece em diversos estados do país. Não há informações sobre quais são as empresas investigadas na Região dos Lagos e no Norte Fluminense.


Segundo informações da Polícia Federal, um mandado de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento, deverá ser cumprido em Cabo Frio como parte da operação. O nome do envolvido não foi divulgado. Será cumprido ainda um mandado de busca e apreensão na cidade e também em São João da Barra.


Nesta fase da Lava Jato são investigados fatos relacionados à contratação pela Petrobras de empresas para a construção de duas plataformas (P-67 e P70) para a exploração de petróleo na camada do pré-sal, as chamadas Floating Storage Offloanding (FSPOs), de acordo com a nota divulgada pela Polícia Federal.


Segundo a PF, o nome dado à investigação policial "é uma referência a um dos grupos empresarias investigados e que tem como marca a colocação e repetição do 'X' nos nomes das pessoas jurídicas integrantes do seu conglomerado empresarial".


Nova fase da Lava Jato

Ao todo, as equipes policiais estão cumprindo 49 ordens judiciais, sendo 33 mandados de busca e apreensão, oito mandados de prisão temporária e oito mandados de condução coercitiva. 


Cerca de 180 policiais federais e 30 auditores fiscais estão cumprindo as determinações judiciais em cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e Distrito Federal.


O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega foi preso na manhã desta quinta-feira em São Paulo na 34ª fase da Operação Lava Jato. O mandado é de prisão temporária.


José Roberto Batochio, advogado de Guido Mantega, afirmou que policiais foram à casa do ex-ministro, em Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista, para cumprir mandados de busca e apreensão. Ele não soube dizer quais objetos foram apreendidos.


Depois, policiais foram ao hospital Albert Einstein, no Morumbi, Zona Sul de São Paulo, onde Mantega estava com a mulher, que passou por uma cirurgia.


Empresa de Eike Batista está entre as investigadas

O empresário Eike Batista também é alvo desta fase da operação. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na sede da petroleira e construtora naval dele, a OSX, que fica no décimo andar de um prédio no Centro do Rio de Janeiro.

 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas