Prefeito Sabino diz não ter "a mínima condição" de receber pagamentos da Odebrecht

Veja a nota.

Por Redação JS em 24/03/2016 07h29

O Prefeito Sabino de Rio das Ostras-RJ distribuiu uma nota à imprensa onde se declara “persona non grata” e adversário da Odebrecht a maior empreiteira do Brasil  e esclarece que não tem como está incluso na lista que a própria empreiteira divulgou com os beneficiários de receberem doações financeiras para suas campanhas políticas.


Veja a nota na íntegra:


"Foi divulgada pela imprensa uma lista com nomes de políticos e valores, que a Polícia Federal supõe estar relacionada a doações para campanhas políticas. O meu nome, para minha indignação e perplexidade das pessoas que acompanham a minha trajetória, faz parte da relação. A autoria da lista é atribuída à Odebrecht, portanto, intui-se que os políticos relacionados fazem parte de um grupo de “amigos” da empresa. Não existe a mínima condição de me incluir neste rol. Desde a assinatura da PPP, por outra gestão, em 2007, sou considerado persona non grata e adversário dos mais combativos da empreiteira, por denunciar a espoliação dos cofres da Prefeitura de Rio das Ostras. Naquela ocasião, quando a mídia e políticos renomados celebravam a primeira PPP do Brasil, me insurgi contra as cláusulas draconianas do contrato e apontei irregularidades do negócio ao Tribunal de Contas e aos Ministérios Públicos Estadual e Federal.


Não existe lógica que explique o financiamento de uma campanha que daria ao financiado poderes para colocar em prática como prefeito um discurso que prometia em praça pública auditar o contrato e reduzir repasses em favor da empresa. Para exaurir qualquer dúvida, basta analisar as medidas que tomei contra a Odebrecht, e avaliar se este seria o comportamento de um prefeito financiado pelos recursos da empreiteira.


Ao assumir a prefeitura, em 2013, determinei, de imediato, a realização da auditoria do contrato e encaminhei formalmente os resultados para o Tribunal de Contas do Estado, o  BNDES e o Ministério Público. A partir daí, travei uma luta desigual com a maior empreiteira do Brasil em nome dos interesses da população de Rio das Ostras. Enfrentei a pressão de políticos poderosos, tive um decreto (que limita os pagamentos das parcelas da PPP em 10% do valor do repasse mensal dos royalties) questionado por uma Adin – Ação Direta de Inconstitucionalidade patrocinada pela Alerj, e travo, em Brasília, uma batalha judicial que coloca de um lado a nossa brava procuradoria e do outro uma banca composta pelos advogados mais bem pagos do Brasil.


Em resumo, quem sempre esteve na lista negra da Odebrecht não merece ser apontado como beneficiário de recursos suspeitos.


Prefeito Sabino"



Matéria: De Olho em Rio das Ostras (www.deolhoemriodasostras.com.br)

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada