Presidente da Portela e candidato a vereador, Marcos Falcon é morto em Madureira

Ele foi morto a tiros na Rua Maria José, esquina com a rua Carlos Xavier, em Madureira, Zona Norte do Rio.

Por Redação JS em 26/09/2016 18h00

Marcos Vieira de Souza, o Falcon, presidente da Portela, foi assassinado na tarde desta segunda-feira (26). As informações são do 9º BPM (Rocha Miranda). Ele foi morto a tiros na Rua Maria José, esquina com a rua Carlos Xavier, em Madureira, Zona Norte do Rio.


A assessora da campanha de Falcon, Simone Fernandes, informou que dois homens encapuzados e armados  entraram no comitê de campanha do candidato, atiraram nele e saíram. Ela disse também que eram seis homens no total, mas só dois entraram no local. Havia outras pessoas no comitê que não se feriram.


Casado com porta-bandeira Selminha Sorriso, Falcon tinha 52 anos e era subtenente da PM, além de candidato a vereador do Rio de Janeiro pelo PP. Ele estava no seu comitê de campanha quando foi baleado. Falcon já havia sofrido outros atentados anteriormente. 


O vice-presidente da Portela, Luis Carlos Magalhães, confirmou a notícia e disse lamentar o ocorrido. "Estou viajando, soube da notícia por telefone, pessoas importantes da Portela me ligaram e posso dizer que a informação procede. Não sei detalhe nenhum, nem como aconteceu, mas isso também não tem importância porque o caso já ocorreu", comentou Luis Carlos


Segundo o jornal O Dia, em março, a delegacia de Madureira (29ª DP) investigava um plano para assassinar Falcon. De acordo com o Luis Carlos Magalhães, ele não sabe nenhuma informação sobre quem estaria promovendo esse ataque: "Minhas atividades são voltadas para a escola, não sabia dessa ameaça. Falcon era um policial de destaque, mas não sei dizer qual foi a motivação."


Muito emocionada, a rainha de bateria da Portela Patricia Nery disse estar muito abalada com a morte do colega. "Muito triste essa informação, me desculpa, mas eu estou sem condições para falar qualquer coisa agora", disse Patricia, aos prantos.


A Divisão de Homicídios foi para o local do crime, em Madureira. De acordo com a polícia civil, diligências estão em andamento para apurar as circunstâncias e a autoria do crime.


Em 2011, Falcon chegou a ser preso sob a suspeita de pertencer a uma milícia que atuava nos bairros de Oswaldo Cruz e Madureira, região da Portela, mas foi inocentado pela Justiça.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada