Professores cabofrienses negam ter recebido salários

Por Jamyne Sant'Anna - Rádio Litoral FM em 21/01/2016 10h43

Servidores concursados da educação de Cabo Frio estiveram na manhã desta quinta-feira (21), na sede da Rádio Litoral, em busca de explicações do prefeito do município, Alair Corrêa, já que o mesmo havia anunciado ontem (quarta-feira) que viria aos estúdios da rádio para uma entrevista.


Os profissionais alegaram que o prefeito divulgou que os servidores que recebem até R$ 3.500,00 haviam recebido, entretanto, nenhum deles recebeu nenhum valor. “Ele disse em uma publicação nas redes sociais que a gente está indo no banco errado. Eu estou com o meu extrato do banco aqui e não consta nenhum pagamento. Eu quero saber que banco é esse!” – Declarou Blenda Gonçalves, professora. “Nós temos um dinheiro próprio, que é o dinheiro do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), mas ele (prefeito) não está usando pra pagar a gente, ele está usando pra pagar outras coisas.” – Afirmou Patrícia da Costa, Dirigente da Escola Vovó Sinha.


De acordo com o Agente Administrativo, Júlio César, o que a categoria reivindica neste momento é o 13º salário de forma integral, o pagamento do mês de dezembro e o calendário de pagamento. “São várias reivindicações, mas neste momento essas são as três principais causas que a gente está brigando para resolver.” Além das reivindicações, os professores solicitam também que os vereadores se posicionem para apoiar a causa e lutar pela educação. “Ele (prefeito) está criando decretos, criando leis que não passam mais pela Câmara de Vereadores. Pra quê tem a Câmara então?” – declarou Patrícia.


Os servidores informaram que representantes da prefeitura estiveram na tarde de ontem (20), cerca de uma hora após a ocupação da classe, propondo que os professores desocupassem o prédio, e em seguida, o pagamento de dezembro e uma negociação para o pagamento do 13º seria aberta. “Ele queria que a gente desocupasse, mas a gente falou que não. Não dá mais pra confiar no que ele (prefeito) fala. A gente só confia agora em dinheiro na conta.” – finalizou Ana Paula Costa, Inspetora de Alunos.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Corrupção sem fim!