Ramison Lopes, pré-candidato a prefeito, afirma que Búzios precisa recomeçar do zero

“Acho que o pode alavancar a cidade é a eficiência da gestão, enxugamento da máquina pública e, em especial, a erradicação de qualquer foco de corrupção que existe”, afirma

Por Redação JS em 20/05/2016 15h57
Ramison Lopes, empresário e pré-candidato a Prefeitura de Búzios, pelo  PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro) foi o convidado desta sexta-feira, dia 20, do programa “Bom Dia Litoral”. 

O empresário não está iniciando agora na vida política. Em 2004, ele tentou a eleição e na época teve quase 2.000 votos. De acordo com ele, agora vai voltar para atender um pedido da população que anseia pela sua candidatura e deseja vê-lo governando o município buziano. “Jamais sai de Búzios. Afastei-me foi da política, percebi que precisava ficar fora. Mas de Búzios só saio quando morrer. Mais uma vez coloco meu nome a disposição da população para dar continuidade ao projeto que iniciei em 2004 e por perceber que o precisamos de um projeto de governo para avançar a cidade”, afirmou.


JS – Qual a necessidade de Búzios? 
RL - Temos uma cidade que o mundo inteiro quer conhecer, visitar. Temos moradores de todas as partes do mundo. Os turistas ficam encantados. É uma cidade que precisa avançar e ser cuidada com muito carinho. São vinte anos de administração pública e com os recursos que passaram a pelas mãos dos prefeitos, pouco foi feito. 


JS – Ainda falta muito para construir o município?
RL - Falta muito para fazer. Eu diria que nós teremos que recomeçar, a partir do zero.


JS - Recomeçar a partir de onde?
RL - Tem que começar a cidade inteira. Búzios tem que virar um canteiro de obra. Principalmente o esgotamento sanitário e rede de abastecimento de  água. 


JS - Ai entra a Prolagos, né?
RL - Ela foi acionada agora pela Câmara. Temos que rever o contrato. Pra ver se ela está cumprindo ou não. Cada um fala uma coisa.  Então, acho que a melhor coisa que tem é que o diretor esclareça o que está acontecendo. Precisamos que se abra o contrato para que todos vejam. É preciso que se cobre. 


JS - E o Turismo? Você já falou que tem um problema sério acontecendo nessa área.
RL - Os pacotes já são vendidos lá fora com tudo pago. Precisamos averiguar como estão acontecendo essas relações. Hoje o município precisa arrecadar. Não é aumentando o IPTU que vamos arrecadar. A arrecadação dos royalties afetou e muito. Portanto, ter receitas novas é importante, mas temos que analisar da onde arrecadar. Sempre o povo que acaba pagando. Aí tem uma crise e sempre o povo que vai pagando imposto. Ou seja, o povo acaba pagando a incompetência de uma má administração pública. Precisa-se rever isso.


JS - Nós contamos e Búzios tem mais de 10 pré-candidatos a prefeitura. Acha que isso se mantém até o final?
RL - Quando você percebe um  grande número de candidatos numa eleição, é porque o governo não vai bem. Acredito que todos que estão como pré-candidatos a prefeito têm boas ideias, mas vai chegando um momento que a população vai escolhendo e alguns vão se aliando aos projetos parecidos com os deles. Acho que o pode alavancar a cidade é a eficiência da gestão, enxugamento da máquina pública e, em especial, a erradicação de qualquer foco de corrupção que existe. A população do Brasil percebeu que o maior problema hoje é corrupção. Porque quando a Saúde está ruim, é porque a corrupção está consumindo o dinheiro que era da Saúde, Educação... Hoje o maior inimigo do povo é a corrupção. A crise é grande no Brasil, mas, em minha opinião, a crise política é maior.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas