Região dos Lagos investe na produção de uvas

Cultivo de videiras nas Baixadas Litorâneas adota técnicas agroecológicas

Por Redação JS em 31/08/2016 12h12
As videiras ganharam espaço na zona rural de estados de clima mais quente, como o Rio de Janeiro. E o mais inusitado: agora as parreiras estão carregadas de cores e aromas a menos de 20 quilômetros das praias fluminenses. A escolha da variedade adequada à região e o estudo da qualidade da água, da fertilidade e da conservação do solo são fatores que contribuem para o sucesso.

 
– Geralmente, a vegetação de cobertura das plantações de uva são baixinhas. Na Região dos Lagos, o produtor faz apenas a roçada. As plantas espontâneas, habitualmente descartadas, são reutilizadas, pois vão formar uma camada que protege e nutre a terra, garantindo mais saúde para as videiras – explicou Cíntia Cruz, extensionista rural da Emater-Rio e técnica-executora do Rio Rural, programa da Secretaria de Agricultura e Pecuária.
 
O agricultor Márcio Parud, do sítio Recanto da Uva, na zona rural de Rio das Ostras, Região dos Lagos Fluminense,  está no terceiro ano de cultivo da uva Niágara Rosada, uma das mais populares nas prateleiras dos supermercados. Ele produz duas toneladas do fruto por ano.
 
– As pessoas não acreditavam que seria possível produzir uvas nessa região. Recebo visitantes de várias cidades – disse o agricultor.
 
O viticultor se prepara para fazer em breve a transição agroecológica, processo de passagem da agricultura tradicional para o cultivo com tecnologias de base ecológica. Uma das técnicas é o monitoramento integrado de controle de pragas e doenças, sem o uso de produtos químicos na lavoura.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Feminicídio - Editorial JS