RJ pede reforço de segurança das Forças Armadas durante as eleições

Procuradoria também requisitou à PF que investigue homicídios de pré-candidatos

Por Redação JS em 12/07/2016 10h12
Diante das suspeitas de homicídio de dez pré-candidatos na Baixada Fluminense e da crescente influência de milícias em comunidades do estado, a Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (PRE/RJ) quer a permanência das Forças Armadas na cidade para garantir a segurança de eleitores e candidatos durante as eleições deste ano. Em ofício, A PRE solicitou à Procuradoria-Geral da República que interceda perante o Ministério da Defesa para que as tropas permaneçam na cidade até 48 horas depois da votação.

A PRE também requereu à Superintendência Regional da Polícia Federal que instaure inquérito para apurar os casos de homicídio contra dez pré-candidatos no estado do Rio de Janeiro. Isso porque, se confirmadas as suspeitas de que os assassinatos têm ligação com crimes eleitorais, passaria a ser da PF a atribuição para conduzir as investigações.

No documento enviado à PGR, o procurador regional eleitoral Sidney Madruga destacou a situação de calamidade pública decretada pelo Governo do Rio de Janeiro e sua consequência na política de segurança pública. Cita ainda que, segundo levantamento feito pela Assembleia Legislativa, as milícias ocupam um total 170 regiões em todo o Estado. “O aumento dos índices de criminalidade tem gerado um clima de extrema insegurança e temor na população fluminense”, analisa ele.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Corrupção sem fim!