Secretário de Educação aldeense participa de Reunião Técnica promovida pelo MEC

O secretário de Educação de São Pedro da Aldeia, professor Evaldo Bittencourt, participará na quarta-feira, dia 11 de novembro, da reunião sobre o “Sistema de Contribuições da Base Nacional Comum Curricular (BNC)”, no Auditório do Anexo II, do Ministério da Educação (MEC).

Por Redação JS em 11/11/2015 09h16
O secretário de Educação de São Pedro da Aldeia, professor Evaldo Bittencourt, participará na quarta-feira, dia 11 de novembro, da reunião sobre o “Sistema de Contribuições da Base Nacional Comum Curricular (BNC)”, no Auditório do Anexo II, do Ministério da Educação (MEC).

Na ocasião, o secretário aldeense, que integra a Diretoria da UNDIME/RJ - União dos Dirigentes Municipais de Educação do Estado do Rio de Janeiro - como secretário de Articulação, representará os 92 municípios fluminenses na discussão nacional sobre a BNC.

Sobre a participação no evento, totalmente custeado pelo MEC, o secretário relatou:

“Sinto-me feliz em poder representar os demais colegas secretários municipais do Rio e a UNDIME/RJ nesta etapa tão importante de debate no âmbito do Ministério da Educação sobre tema de grande relevância para os alunos, as escolas e a educação de modo geral. O País precisa avançar sim no conceito de ter base curricular para a nação e, ao mesmo tempo, não ferir a autonomia da Escola que consegue fazer Projetos Pedagógicos que atendam as especificidades locais e as culturas da comunidade onde se insere”.

A Base Nacional Comum Curricular tem como objetivo servir de ferramenta para orientar a construção do currículo das mais de 190 mil escolas de Educação Básica do País, públicas ou particulares. Espera-se que a BNC se torne um instrumento de gestão que ofereça subsídios para a formulação e a reformulação das propostas curriculares dos sistemas de ensino dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, em diálogo com as diferenças presentes na escola e com as especificidades que caracterizam o contexto educacional brasileiro. A partir da Base, os mais de 2 milhões de professores continuarão podendo escolher os melhores caminhos de como ensinar e, também, quais outros elementos precisam ser somados nesse processo de aprendizagem e desenvolvimento de seus alunos. Tudo isto respeitando a diversidade, as particularidades e os contextos de onde estão. Sobre a questão do respeito à autonomia das escolas, o secretário Evaldo Bittencourt opina:

“Não vejo a BNCC como uma afronta à autonomia da escola e do professor. Vejo como importante mecanismo de garantia de equidade para que todos no território nacional tenham aprendizagem garantida”.

Os interessados em opinar e contribuir para a construção da BNC podem acessar o portal criado pelo MEC com o objetivo de informar e tornar pública a Base: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Outubro Rosa