SinMed/RJ quer que morte de médica em Búzios seja investigada no Rio

Maria Júlia Matteotti foi encontrada morta com sinais de tortura no sábado (28). Sindicato dos Médicos alegou que 127ª DP "não tem estrutura".

Por Redação JS em 29/08/2016 13h19

O Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro vai pedir que a investigação da morte da médica Maria Júlia Matteotti Cavalcanti Martins de Oliveira, de 66 anos, seja transferida da delegacia de Armação dos Búzios, onde o crime aconteceu, para a Delegacia de Homicídios, na Barra da Tijuca, na capital. O SinMed/RJ informou sobre a medida em nota, alegando que a 127ª DP "não tem estrutura especializada para esse tipo de investigação".


Maria Júlia, que era ginecologista e obstetra, e morava no Leblon, foi encontrada morta com os braços amarrados e a boca amordaçada no sábado (27), na própria casa, no Condomínio Jardim do Lago, no bairro Baía Formosa, em Búzios.


O SinMed/RJ informou também que vai solicitar uma audiência com o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.


"Vamos levar a nossa manifestação de indignação em relação ao que ocorreu com essa médica, que era minha colega de turma. Essa investigação tem que ocorrer de maneira objetiva e rápida, para chegarmos aos autores deste crime", declarou o presidente do sindicato, Jorge Darze.


A Polícia Civil informou em nota que "uma perícia minuciosa foi realizada no local e um amplo trabalho de investigação está em andamento para esclarecer todas as circunstâncias do crime assim como a sua autoria".

 






 

*G1.com

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas