Superintendente da Comsercaf pode estar envolvido em morte de policial

As investigações envolvendo o Hugo tiveram início a partir de um roubo que aconteceu em 2014, na Via Lagos.

Por Redação JS em 19/02/2016 14h39

Hugo Jorge de Almeida Gonçalves, presidente da Comsercaf, órgão ligado a Prefeitura Municipal de Cabo Frio,  é apontado como o líder da quadrilha, que atuava em diversas cidades do Rio, entre elas, Campos dos Goytacazes, Macaé, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia e Cabo Frio.


Hugo, que foi preso nessa manhã de sexta-feira, dia 19, com outras cinco pessoas, é  acusado de crime de organização criminosa, latrocínio, roubo, peculato e adulteração de sinal de veículo automotor. 

 

De acordo com o promotor Marcelo Arsênio, do Gaeco, "tudo que acontecia dependia da sua aceitação (de Hugo) e, especificamente no latrocínio, ele inclusive forneceu coletes para que o grupo pudesse ter um sucesso e ninguém fosse alvejado durante a prática do crime de latrocínio", afirmou o promotor.

 

As investigações envolvendo o Hugo tiveram início a partir de um roubo que aconteceu em 2014, na Via Lagos. Dois policiais militares transportavam R$ 6 milhões, a serviço de uma empresa e estavam em um Toyota Corolla, quando foram abordados a tiros de fuzil, disparados por membros da quadrilha.

 

Valério Albuquerque Mello Filho, querido pela comunidade e amigos de trabalho, que dirigia o veículo, morreu. 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Violência desenfreada