Turismo inicia projeto da “Praça dos 510 paus-Brasil”

A secretaria de Turismo de Cabo Frio iniciou esta semana uma série de reuniões e ações junto à secretaria de desenvolvimento da Cidade – SEDESC e a COMSERCAF para a execução do projeto de construção da “Praça dos 510 paus-Brasil”, tema alusivo ao “Descobrimento e chegada de Américo Vespúcio à Cabo Frio”, numa área de 40 mil m², na Avenida Wilson Mendes, ao lado do Centro de pesquisa da UERJ, na altura do bairro Porto do Carro, em Cabo Frio.

Por em 05/08/2015 11h40
A secretaria de Turismo de Cabo Frio iniciou esta semana uma série de reuniões e ações junto à secretaria de desenvolvimento da Cidade – SEDESC e a COMSERCAF para a execução do projeto de construção da “Praça dos 510 paus-Brasil”, tema alusivo ao “Descobrimento e chegada de Américo Vespúcio à Cabo Frio”, numa área de 40 mil m², na Avenida Wilson Mendes, ao lado do Centro de pesquisa da UERJ, na altura do bairro Porto do Carro, em Cabo Frio.
 
A ideia é que a praça tenha o seu nome alterado de acordo com a celebração da nova data a cada ano, por exemplo, em 2013, comemora-se 510 anos do descobrimento de Cabo Frio; em 2014, 511 anos de descobrimento e assim sucessivamente.
 
Nesta praça, de acordo com o projeto consta a criação de salinas com 8 a 10 quadras para obtenção de sal; cata-vento tradicional; barracão de sal com telhas feitas nas coxas; o plantio de 510 mudas de paus-Brasil com mais de um metro de altura; construção de três depósitos (barracão de sal – modelo) um para ser utilizado como bar e restaurante, outro para maturação do sal e o último para abrigar uma feira do artesanato de Cabo Frio e miniteatro; uma oca de índio no estilo Xingu ou Tamoio; um heliponto terceirizado; playground com toras rústicas; uma rampa para pessoas que tenham barcos ou lanchas e jet-ski, para ter acesso a lagoa; estacionamento; guarita para Guarda Municipal; e a construção de um deck no entorno.
 
Ainda segundo o projeto, todos os equipamentos deverão ser tradicionais com o objetivo de preservar para futuras gerações, de como surgiram às primeiras indústrias do sal da região. Um exemplo citado é a utilização de saco de juta para embalar o sal.
 
Milton Roberto, superintendente da secretaria de Turismo defende o projeto:
 
- Entendendo que Cabo Frio não vai viver eternamente dos royalties do petróleo, temos que aprimorar o município para competir com as outras cidades, como, por exemplo, Fortaleza, Salvador, Porto de Galinhas e Porto Seguro, criando sempre um grande atrativo turístico e ações turisticamente mais fortes. Para entramos nessa competição, temos que desenvolver atrativos turísticos, como essa praça dos 510 paus-Brasil, que está sendo desenhada. Nela vamos reviver a cultura do sal, ou seja, construir salinas, barracões de sal, cataventos entre outros pontos e um espaço para o puro artesanato de Cabo Frio. Vai ser realmente uma área onde o turista vai passar horas em lazer e se instruindo – afirmou Milton.
 
Milton destaca que consta na história do Brasil que a região costeira de toda a lagoa de Araruama, na época da descoberta, a floresta natural da época era a árvore que deu origem ao nome do Brasil: Pau-Brasil.
 
- Mais de 70% dos brasileiros não conhecem a árvore que deu origem ao nome de seu país. E essa praça com certeza vai matar a curiosidade de muitos turistas - comemora o superintendente do Turismo.

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano