Verão requer atenção redobrada de moradores da Região dos Lagos

Veja algumas dicas de segurança

Por Redação JS em 19/01/2016 07h16

Cabo Frio deve receber no carnaval 800 mil turistas, segundo estimativa da Secretaria Municipal de Turismo. O número é quatro vezes maior que a população da cidade, de 186 mil pessoas. Com tanta gente circulando e o aumento expressivo da locação por temporada, é preciso redobrar os cuidados com a segurança dos edifícios.


O Sindicato da Habitação do Rio (Secovi Rio), que conta com representação na região dos Lagos, orienta os síndicos e administradores a prestarem atenção na integração entre tecnologias, funcionários e moradores. Medidas simples podem contribuir para minimizar as possibilidades de crimes, entre elas manter um controle de cadastramento de moradores temporários, o que pode ser autorizado em reunião de assembleia.


O departamento jurídico do Sindicato sugere que a ação esteja prevista na Convenção ou no Regulamento Interno do condomínio. Para orientar os condomínios de todo o Estado, a entidade lançou neste mês a cartilha Segurança Condominial, com o patrocínio da Haganá, empresa no ramo de terceirização de serviços de segurança.


Além de ensinar a utilizar os recursos tecnológicos, a publicação dá orientações sobre como se portar diante das situações de riscos. O conteúdo tem como base o material do “Trilogia – Práticas para um Condomínio Seguro”, elaborado em 2006 com a supervisão do consultor Raimundo Castro, um dos maiores especialistas em segurança patrimonial no País.


Os condomínios em dia com as contribuições ao Secovi Rio receberão a publicação impressa pelos Correios. Já os demais interessados poderão consultar a versão digital gratuitamente no portal www.secovirio.com.br.

 

Confira mais algumas dicas da cartilha Segurança Condominial:

 

 

A entrada de entregadores de flores, vendedores, etc, ou seja, serviços que não foram solicitados pelo morador, deve ser impedida. É comum assaltantes usarem disfarces desse tipo. Se não houver um “passador” de objetos no seu prédio, fique alerta;


Observe os visitantes que chegam ao prédio. Se a visita for considerada suspeita, ou se saiu e voltou com mais pessoas, o morador deverá ser comunicado imediatamente desse fato;


Os alarmes sonoros devem ser evitados, pois podem provocar reações violentas em criminosos, no caso de haver alguém sob ameaça. Se forem instalados, eles devem ser discretos. Alarmes luminosos também devem ser discretos, assim podem provocar dúvidas nos invasores, já que fogem do padrão normal. Os mais indicados são os eletrônicos;


É aconselhável estabelecer cartões de identificação para o acesso de veículo à garagem ou selos adesivos para fixação no para-brisa;


Uma linha telefônica na portaria, bem utilizada, pode ser útil em caso de emergência, tornando mais rápida a comunicação emergencial. Para isso é necessário ter os números dos telefones importantes, com fácil acesso, principalmente os da Central de Operações do Batalhão, delegacia, da Defesa Civil do bairro, etc.;


Esclareça sempre aos moradores os procedimentos de segurança e peça a colaboração de todos.

 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes Dupla vascaína
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Alvo humano