Violência sexual no Brasil

Por Vilma Matos em 13/06/2016 16h17

No mês passado, a notícia de estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro e no Piauí chocou o Brasil e o mundo, ficamos estarrecidos diante de tanta violência. Com isso desencadeou as mais diversas manifestações de indignação em várias cidades do país.


Para falarmos de estupro, vamos primeiro saber o que é um estupro: é a prática NÃO consensual do sexo, imposto por meio de violência ou grave ameaça de qualquer natureza por ambos os sexos. Ele consiste em qualquer forma de prática sexual sem consentimento de uma das partes, envolvendo ou não penetração. Vale lembrar que estupro é crime previsto no Código Penal Brasileiro (Lei 2848/1940), sendo classificado como ato de “constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso” (art.213).


No Brasil, a cada 11 minutos, uma mulher sofre violência sexual, segundo dados do 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública. Esses números são diários e atingem principalmente menores. Quando cometido pelo pai, padrasto, uma pessoa próxima da vítima e a quem ela confia, o estupro se torna ainda mais dolorido e, por isso a lei prevê um aumento de pena para o estuprador.


O estupro é a mais cruel manifestação de violência contra a mulher, ele é uma negação da vontade dela, através da força bruta do homem, onde este monstro a trata como um ser sem qualquer valor e respeito.

 Entre adultos, e mesmo dentro do casamento, a relação sexual imposta pela violência também caracteriza o estupro.


Denunciar um estupro é importante, um criminoso desse não pode ficar impune, cabe a vítima denunciá-lo. O medo, a vergonha, não pode ser maior do que a justiça. 

Colunistas

Suely Pedrosa - Social Tudo sobre a Região dos Lagos
Ricardo Sanchez - Esportes O espírito da 10 de Zico
Ademilton Ferreira - Política Os bastidores da política
Vilma Matos - Editorial Famílias destruídas