Prefeitura e Ministério Público Federal vistoriam praias de Cabo Frio para adequação ao projeto “MPF Praia Limpa”

O Ministério Público Federal convocou as coordenadorias de Meio Ambiente e Posturas, da Secretaria de Desenvolvimento da Cidade, e a Comsercaf, para fazer uma vistoria na Praia do Forte visando à adequação ao Projeto “MPF Praia Limpa”, a ser colocado em prática já no verão 2018/2019. Estiveram presentes o Procurador da República Leandro Mitidieri Figueiredo, o coordenador de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira, o coordenador de Posturas, Alexandre Lopes e o presidente da Comsercaf, Luiz Cláudio Gama.

O procurador Leandro Mitidieri Figueiredo explicou que a finalidade do projeto é consolidar uma parceria entre os barraqueiros e ambulantes com o poder público, para que as praias da Região dos Lagos sirvam de exemplo de limpeza e conscientização.

“Esta vistoria é o segundo passo do nosso projeto “MPF Praia Limpa”. Convocamos representantes das prefeituras de Arraial do Cabo, Cabo Frio e Búzios para que haja uma preparação referente ao verão que se aproxima, em relação ao lixo na praia. Primeiro faremos a conscientização dos comerciantes e usuários das praias, para que cada um cuide do seu lixo, principalmente os comerciantes. Se eles lucram com sua atividade e produzem lixo como consequência, eles devem também arcar com o ônus da limpeza do seu espaço e da destinação correta. Nossa intenção é criar um ciclo virtuoso a partir dessa conscientização, envolvendo o poder público, que deve dar condições para que o lixo seja recolhido com maior regularidade e dar a destinação correta, evitando o acúmulo de resíduos e mantendo as praias limpas”, afirmou.

Para o coordenador de Meio Ambiente, a ação do Ministério Público Federal é muito bem vinda, uma vez que muitas questões que precisam ser resolvidas serão debatidas na audiência pública que será realizada entre o MPF, a Prefeitura, ambulantes e barraqueiros no próximo dia 8, em local ainda a ser confirmado.

“Nossa principal preocupação com o lixo gerado nas praias, hoje, é com o coco. Em Arraial do Cabo já foi proibida a venda de coco nas praias. Além de ser muito pesado, o coco é de difícil transporte. Algumas sugestões como a venda de água de coco em garrafas foram apresentadas, mas precisamos chegar a uma proposta que seja, também, ambientalmente sustentável”, explicou.

A Comsercaf irá elaborar um planejamento para que haja lixeiras nas praias, em espaços que facilitem o recolhimento constante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here